SOBRE O BLOGUEIRO

Minha foto
Antonina, Litoral do Paraná, Palestine
Petroleiro aposentado e petista no exílio, usuário dos óculos de pangloss, da gloriosa pomada belladona, da emulsão scott e das pílulas do doutor ross, considero o suflê de chuchu apenas vã tentativa de assar o ar e, erguido em retumbante sucesso físico, descobri que uma batata distraída não passa de um tubérculo desatento. Entre sinos bimbalhantes, pássaros pipilantes, vereadores esotéricos, profetas do passado e áulicos feitos na china, persigo o consenso alegórico e meus dias escorrem em relativo sossego. Comendo minhas goiabinhas regulamentares, busco a tranqüilidade siamesa e quero ser presidente por um dia para assim entender as aflições das camadas menos favorecidas pelas propinas democráticas.

terça-feira, 30 de abril de 2013

Carta aberta ao Bispo de Bauru


Assessoria de Imprensa da Diocese de Bauru
pascom@bispadobauru.org.br 
Jornalista Aline Maria Mendes

Direto e reto ao cerne da questão: a excomunhão de padre Beto é um ato de violência contra a decência humana. 

Dos meus 6 filhos o mais novo é gay, a mais nova é lésbica e, como pai tenho o dever incontornável de amá-los incondicionalmente e de defendê-los da LGBTT-fobia que, fundada em dogmas religiosos obtusos, é permanentemente cevada em cultos e missas, por padres e bispos, por pastores, apóstolos e picaretas da fé assemelhados, gente que, com seu discurso de ódio - travestido de pregação religiosa - empresta ares de "missão divina" para a faina dos assassinos que provocaram mais de 430 mortes de LGBTTs de 1º de janeiro de 2012 até hoje.

As palavras e atos de derramada generosidade de Padre Beto, homem de fé transformadora, constituem alento para a luta das famílias LGBTTs brasileiras porque, para além de qualquer dúvida, são sopros de ar fresco, são luzes acesas que alumiam as trevas da escuridão dos dogmas das santa madre e genocida igreja católica, que é capaz de excomungar o padre que ousou pensar mas, santa hipocrisia, cala-se diante dos incontáveis casos de pedofilia praticados nos desvãos das sacristias e varre para debaixo dos tapetes a corrupção que grassa no Vaticano.

A santa madre hipócrita, corrupta, misógina, sexista, machista, genocida, LGBTT-fóbica, intolerante e mentirosa igreja católica é assim: há dois mil anos conspirando contra o progresso e contra a vida.

Desatenciosamente,

Paulo Roberto Cequinel
(enviado às 10h)

---xxx---
(atualização 14h41)
Reproduzo o e-mail que a Assessora de Imprensa da Diocese de Bauru me enviou
---xxx---
(atualização 13h34, 02/04/2013)
O e-mail que a assessora de imprensa gentilmente me remeteu foi removido a seu pedido.

domingo, 28 de abril de 2013

Pela proibição do casamento entre evangélicos e realizados por igrejas evangélicas no Brasil

O Presidente Forever, Guru Malemolente e Sex Symbol Senior da Ornitorrinco Marriage Corporation, não consegue para de rir desde que assinou a petição.
---xxx--- 
Assine a petição na Avaaz
(por Johnny D.)

O Brasil é uma país de maioria católica e com uma história embasada no Catolicismo, a verdadeira Igreja de Cristo. O Brasil é o maior país católico do mundo e nossa sociedade está embasada em valores católicos desde o Descobrimento. Os evangélicos são minoria e uma democracia tem de estar baseada na vontade da maioria. Ao contrário do que eles querem passar, ser evangélico é uma OPÇÃO, ninguém nasce evangélico! A liberação do casamento evangélico pode passar a impressão a nossas crianças que ser evangélico é normal, e não é. Logo todo o Brasil se transformará em evangélico, destruindo nossa sociedade, baseada em valores católicos. Depois de tanto trabalho pra catequizar essa terra pelos portugueses vamos permitir isso? Jamais. Se eles querem ser evangélicos, que sejam lá no canto deles, eles tem o direito de escolher, mas eu não quero que meus filhos vejam dois evangélicos pregando na rua e negando a santidade de Nossa Senhora; como vou explicar isso a meus filhos, que tanto trabalho tenho para educar nos princípios da Santa e Amada Igreja Católica? Além do mais o único casamento válido é aquele abençoado por um padre, membro da Igreja de Cristo. Todos os casamentos que não sejam feitos pela Igreja deveriam não ser reconhecidos e todos os que se casarem sem serem membros da Igreja também não deveriam ter suas uniões reconhecidas. Eu amo os evangélicos, não sou evangélicofóbico, mas, como católicos, abominamos suas doutrinas e suas práticas! Evangélicos também não deveriam NUNCA poder adotar. Imagine! Eles nunca concederiam ao filho a graça de serem batizados pela Santa Igreja de Cristo e influenciariam seus filhos a serem evangélicos também! Se o filho mostrasse tendência a se converter a fé real do Catolicismo, certamente seria pressionado por seus pais a continuar nas práticas perniciosas do Evangelismo! Ser evangélico NÃO É NORMAL! Eles são minoria, um desvio, os católicos são maioria no Brasil e, numa democracia, a vontade da maioria deve prevalecer!

(Quase) em defesa da PEC nº 33: as curiosas relações entre os poderes da República, a mídia e um ilustre penetra


O Serviço de Alto Falantes Ornitorrinco lembra de Reginaldo Melhado, advogado em Londrina nos anos 80/80, sempre de trabalhadores, e da sua lucidez, da sua serenidade e da sua honestidade, e alegra-se ao saber que ele hoje qualifica a Justiça do Trabalho.
---xxx---
Copiei de Sem Juízo

Reginaldo Melhado*

A votação inicial da proposta de emenda constitucional que submete ao Congresso Nacional algumas decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) gerou virulenta reação dos meios de comunicação. Juízes manifestaram-se em notas oficiais, sustentando que a emenda violaria o princípio da separação dos poderes e amordaçaria o judiciário. Os meios de comunicação apressaram-se em ver na aprovação da PEC uma espécie de reação emulatória: a revanche do parlamento contra a condenação de parlamentares no famoso processo do mensalão. Totalitarismo, tirania, repristinação da ditadura do Estado Novo. Falou-se o diabo.
Diante dessa estridência toda, e já sabedor de que nem tudo que se vê nos jornais e na TV traduz a realidade, resolvi dar uma olhada na tal PEC nº 33/2011. Qual não foi minha surpresa ao ver que muitos juristas e magistrados talvez nem mesmo tenham lido a proposta, que parece bastante razoável e deveria ser debatida seriamente, sem preconceitos. Se fosse dado a este escrevinhador bissexto votar, como membro do que já se chamou de centro de picaretagem – o excelso parlamento brasileiro –, ele não aprovaria a emenda, pois ela, com o perdão do lugar comum, talvez seja pior do que o soneto. Mas a proposta não tem nada de antidemocrático, não ofende a separação dos Poderes, não macula o STF e nem tem qualquer relação, direta ou indireta, com os processos criminais que passam na televisão. Ao diante, algumas impressões sobre seus três núcleos.
1. A emenda institui quórum qualificado para a declaração de inconstitucionalidade pelos tribunais. Com a PEC nº 33, seriam necessários quatro quintos dos membros da Corte. Hoje, a Carta impõe apenas a maioria absoluta. No Supremo, a declaração de inconstitucionalidade de uma lei pode ser decidida por seis a cinco. No controle concentrado de constitucionalidade, isso significa, por exemplo, que uma emenda constitucional aprovada por três quintos dos votos dos deputados e senadores cai por terra com o voto de um juiz (ou seis juízes, se se quiser). O atual sistema, portanto, deveria mesmo ser aprimorado. Quatro quintos talvez seja muito (não no STF, mas nos tribunais ou nos seus órgãos especiais). Mas a maioria absoluta, no STF, é questionável.
2. A proposta de emenda constitucional também trata da súmula vinculante. Estabelece que só depois de aprovação pelo Congresso Nacional ela entra em vigor. Aqui se levantam vozes vociferadoras: estaria o parlamento interferindo na atividade jurisdicional, conspurcando o princípio da separação dos Poderes da República! Com todo respeito, não há nada disso.
A proposta está coerente com o que muitos juristas sempre sustentaram (inclusive os juízes da AMB, Ajufe e Anamatra): na realidade, é a súmula vinculante quem viola a separação dos poderes, amesquinhando o Legislativo: ela tem caráter normativo e não jurisdicional. Embora se refira à validade, interpretação e eficácia de normas jurídicas, a súmula vinculante caracteriza-se pela abstratividade, generalidade, imperatividade e coercibilidade. Do ponto de vista ontológico, ela não tem natureza jurisdicional. A súmula vinculante é norma jurídica, pois produz efeitos erga omnis ("eficácia contra todos e efeito vinculante"). Melhor seria acabar com ela. Dificultar sua aprovação não resolve o problema, mas a PEC cria modelo insinuante. Infundir a legitimação do parlamento (mesmo o congresso-picareta) na aprovação da súmula vinculante talvez corrija o pecado original (no sentido de que o STF legisla, não sendo poder legislativo). A proposta, aliás, devolve ao palco da política a aprovação por decurso de prazo: não sendo apreciada pelo Congresso, em 90 dias, a súmula vinculante entraria em vigor, sem mais delongas nem milongas.
3. O ponto mais polêmico são as decisões do STF nas ações diretas de inconstitucionalidade: a PEC também aqui cria um modelo curioso e sugestivo, que nada tem de autoritário e haveria de ser ponderado de forma judiciosa. Ela estabelece que a decisão declaratória de inconstitucionalidade do STF deve ser submetida de imediato à chancela do Congresso. Se o parlamento (por 3/5 dos seus votos, em reunião unicameral) se manifestar contra a decisão do STF, a matéria então seria submetida à consulta popular. O eleitor, o povo, apareceria na cena política. Novamente, aqui, bradam os juristas e jornalistas contra esse suposto ataque à independência e à autonomia do Judiciário.
De novo, também nesse ponto, a reflexão carece de análise crítica e profunda. Do ponto de vista da filosofia jurídica, a proposta remete a uma discussão instigante: a natureza da decisão do STF na declaração de inconstitucionalidade da lei. Para Hans Kelsen – jurista insuspeito de militar a favor da esquerda totalitária e corrupta –, o tribunal constitucional não exerce jurisdição, em sentido técnico, ou ontológico, ao declarar a lei inconstitucional. Ele atua como "legislador negativo". Tanto que, para o filósofo austríaco – pai do positivismo jurídico –, o Tribunal Constitucional sequer integra o Poder Judiciário e é formado por representantes da sociedade. Esse conceito, que não é defendido apenas por Kelsen, influenciou o que muita gente chama de "modelo europeu" (segundo o qual, a decisão da corte constitucional não é declaratória e sim constitutiva. A lei tem vigência plena até ser considerada inconstitucional, com efeitos ex nunc).
Com efeito, ao ser a matéria "devolvida" ao Congresso, não há conflito entre poderes, e tampouco intervenção de um na esfera de domínio do outro. Na realidade, o modelo criado na PEC nº 33 cria um sistema original, distinto dos paradigmas norte-americano, europeu ou francês. Montesquieu provavelmente se retorceu no túmulo, ao saber dessa ideia do legislador negativo devolver a bola para o legislador positivo. Entretanto, se o problema é pensado sob a ótica do sistema jurídico europeu, é o STF quem, ao declarar a inconstitucionalidade da lei, refoge às suas funções típicas de jurisdição e invade competência alheia. É o judiciário interferindo no legislativo. A proposta de emenda constitucional cria uma ferramenta curiosa e democrática de solução de eventual confronto entre os dois poderes, ao remeter a questão à consulta do eleitor: a catálise da soberania popular. Enquanto Montesquieu torceria o nariz, Locke e Rousseau bateriam palmas.
Os juristas conservadores, não. Um deles, aliás, chegou a sustentar que o povo não deve se intrometer em discussões sobre a inconstitucionalidade das leis, por ser um problema de higidez da tecnicalidade. Como se o sistema de direito positivo fosse algo estranho ao mundo real, asséptico, infenso às inflexões políticas. Como se a constituição não fosse um documento político. Como se na festa dos juristas a consulta popular fosse um penetra, sempre obliterado na relação dos convidados ao debate. Dos argumentos contrários à proposta, esse é sem dúvida o mais simplista e condenável.
Como se vê, não há na PEC nº 33 algo de totalitário, invasivo, canhestro. Não é um projeto maravilhoso, mas sua originalidade e a relevância do tema sugerem que ele não deveria ser discutido com tamanha superficialidade. Parodiando Dworkin, as pessoas deveriam falar de direito seriamente. Ou, agora parodiando Habermas, o processo comunicativo haveria de ser sincero e honesto.
De novo, cabe sublinhar: o autor destes mal traçados rabiscos eletrônicos não emprestaria seu apoio às ideias da PEC nº 33. Não sem antes um profundo diálogo democrático e um sério aperfeiçoamento. Mas a maneira como o projeto e seu debate foram banidos peremptoriamente pelos meios de comunicação revela como a mídia se tornou um poder visceralmente totalitário e monolítico, para a infelicidade da nossa claudicante construção democrática.
*Reginaldo Melhado é Doutor em Teoria Geral e Filosofia do Direito (Universidade de Barcelona/USP), professor da Universidade Estadual de Londrina e juiz titular da 6ª Vara do Trabalho de Londrina

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Honduras não é aqui, o Paraguai não é aqui, golpistas sem voto!

Minhas bodas jamais foram festejadas com grana de poderosos escritórios de advocacia os quais, enfatizo, não empregam nenhum dos meus parentes, de modo que posso, em face da gritaria contra a PEC 33, que teve sua admissibilidade aprovada nesta semana, dirigir-me aos meus quase 9 leitores e, com a graça, a leveza, a picardia e a malemolência que me caracterizam cada vez menos, dizer que:

1. A aprovação da admissibilidade, que fique bem claro, significa que a proposta atende os (indispensáveis) requisitos de constitucionalidade, e tramitará até chegar ao plenário da Câmara onde o mérito da proposta será discutido, analisado e votado em dois turnos, para depois cumprir outros dois turnos no Senado. E somente será aprovada - atenção! - apenas e se três quintos dos votantes de cada casa assim decidirem.

2. Permitam-me falar da Constituição, a de 1988 que, segundo pude apurar, está em plena vigência. Ou não, Ministro Gilmar Mendes?

3. O Artigo 52 da Constituição Federal aprovada pelos representantes eleitos pelo povo brasileiro, em 1988, assenta, com clareza solar que "Compete privativamente ao Senado Federal: (...) X. suspender a execução, no todo ou em parte, de lei declarada inconstitucional por decisão definitiva do Supremo Tribunal Federal."

4. Já o Artigo 49 da Constituição Federal, aprovada pelos representantes eleitos pelo povo brasileiroem 1988, estabelece que "É da competência exclusiva do Congresso Nacional: (...) XI. zelar pela preservação de sua competência legislativa em face da atribuição normativa dos outros poderes."

5. O que temos hoje, meninos e meninas? Se eu entendi - e admito liminarmente que minha cacholinha desidratada me prega muitas peças - quando o STF declara inconstitucional uma lei, cabe ao Senado, privativamente, suspender a execução, o que me leva a inferir que se o Senado discordar, o STF ensaca a desafinada violinha golpista e o Gilmar Mendes, o Marco Aurélio Mello e o São Joaquim Batman Barbosa vão estrebuchar e darão milhares de entrevistas pro Jornal Nacional, pra Globonews, pra Folha de São Paulo, pro Globo, pra Veja e para os integrantes da segunda divisão do PIG, como a Gazeta do Povo, por exemplo.

6. A PEC 33 pretende estabelecer que o STF somente poderá declarar inconstitucional uma lei se 9 ministros assim votarem (hoje são 6), e o Congresso Nacional, em até 90 dias, discutirá a decisão do Supremo e, se dela discordar, convocará uma consulta popular (o verdadeiro poder supremo deste país, é bom que ninguém esqueça) para resolver o impasse entre os dois poderes. E se o Congresso não decidir nada nos 90 dias de prazo, danou-se, vale a decisão do STF.

7. Por pertinente, deixo aqui uma mijadinha básica para demarcar território: Honduras não é aqui, o Paraguai não é aqui, golpistas sem voto!

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Pois besuntem o dedão em sua gosmenta ignorância, enfiem de inopino no fiofó e rasguem!

O Serviço de Alto Falantes Ornitorrinco, ao cumprimentar os beócios, os obtusos e os descerebrados presentes a esta perigosa quermesse em louvor de São Marco Malafaia Bolsonaro dos Vômitos de Ódio, declara: besuntem o dedão em sua gosmenta ignorância, enfiem no fiofó e rasguem!
 
---xxx---



Cansada dos fundamentalistas de todas as estirpes que existem por aí e por aqui também! Sem paciência nenhuma com reacionários, conservadores, mal informados e mal intencionados! Cansei dessa "gente"! 

Na representação política institucional, além dos Donos de supostas instituições "religiosas", temos ainda ruralistas, lobistas da educação particular, dos grupos de mídia, dos banqueiros e muitos muitos outros, todos bem certos do que fazem e do que buscam.

No círculo de nossas relações diárias, convivemos com outros tantos desse naipe. Todos leitores da (NÃO) veja e de outros panfletos da "grande" mídia. Esses, ocupam ou não espaços institucionais, mas independente disso, fazem da defesa de privilégios, hipocrisias e coisas nojentas de todo tipo, seu modo de vida: a típica "classe merdia", que pensa que é alguma coisa, que "come mortadela e arrota caviar", que sonha, não com um mundo igualitário, mas sim em ocupar o lugar do explorador...quase todos machistas, homofóbicos, racistas e com verdadeiro horror a pobre, claro! 

Como se não bastasse parte de nossa representação política, os espaços antes plurais para o debate também estão se tornando asfixiados e insuportáveis! Não dá mesmo! Enquanto, como sempre, atuo persistente na frente coletiva de construção de uma outra realidade, com aqueles que respeito e admiro em suas convicções e ações, me reservo o direito de banir de minha convivência privada essa gentalha que faz mal a qualquer perspectiva de transformação social, necessária, possível e pela qual tanto lutamos diariamente!

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Reunião em Curitiba para organização da luta contra a PEC 99/2011

Copiei do Livre Pensamento 

Reunião em Curitiba em defesa do Estado Laico e contra a PEC 99/11

Publicado em 17/04/2013 por Porantim
Está sendo convocada pelas redes sociais uma reunião para discutir como atuar contra a PEC 99/2011. Esta reunião está marcada para o próximo dia 20 de abril, às 10 h da manhã, na sala 404 do edifício D. Pedro II da UFPR (Rua Dr. Faivre, 405). Várias pessoas já se comprometeram em estar presentes. O texto abaixo procura alertar para os riscos da aprovação da PEC 99/2011 e ajudar na motivação pela participação nesta reunião.
Em defesa da democracia, do Estado laico e da liberdade religiosa.
A história da laicidade é a história da luta pela democracia, inclusive para assegurar o direito religioso. No Brasil a separação entre o Estado e a religião teve origem na república.

Acaba de ser aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados a admissibilidade do Projeto de Emenda Constitucional (PEC) número 99 de 2011, de autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), que dá a organizações religiosas nacionais o poder de contestar a constitucionalidade de leis perante o Supremo Tribunal Federal (através das Ações Diretas de Inconstitucionalidade – ADIn).

Ao dar às organizações religiosas o estatuto de entes políticos institucionais, a PEC iguala organizações religiosas às instituições da república e ameaça trazer conflitos de valores religiosos para dentro do Estado.

O risco da regulação religiosa do Estado é a imposição dos preceitos religiosos sobre valores científicos e jurídicos da sociedade, criando-se situações arbitrárias até mesmo sobre outras religiões diferentes daquela professada como oficial.

Consideramos que a tramitação da PEC 99/2011 coloca em risco a separação entre estado e religião no Brasil, uma conquista republicana que vem sendo ameaçada de forma contundente nos últimos anos.

Por isso, resolvemos convocar os livres pensadores, os defensores da democracia e da república, os jovens e os defensores da liberdade religiosa a estarem conosco para discutir como lutar contra a aprovação da PEC 99/11. A reunião será no dia 20 de abril, um sábado, às 10 horas da manhã, na sala 404 do edifício D. Pedro II da UFPR (Rua Dr. Faivre, 405). Contamos com sua presença.

Ana Lucia Canetti – psicóloga
Maurício Moura – editor do blog Livre Pensamento
Paulo Roberto Cequinel – editor do blog Ornitorrinco

terça-feira, 16 de abril de 2013

Vereadora obtusa, do PSC, pretende tornar Silas Malafaia Cidadão Honorário de Curitiba


O Serviço de Alto Falantes Ornitorrinco informa, por pertinente: Excelentíssima é uma piada e Obtusa, por óbvio, não.
---xxx---

Excelentíssima e Obtusa Vereadora Carla Pimentel (PSC):
(carla.pimentel@cmc.pr.gov.br)

Leio  no site da Band News Curitiba que você pretende conceder o título de Cidadão Honorário de Curitiba ao notório pastor LGBTT-fóbico Silas Malafaia.

Quero enfatizar, de plano, que esta sua grotesca iniciativa constitui monumental insulto a mim e a minha família. 

Explico e, se necessário, peça-me para desenhar. Não se acanhe.

Tenho 6 filhos e o mais novo é gay, a mais nova é lésbica e, em vômitos recorrentes de ódio e de intolerância, o pastor apatifado humilha, ofende e ameaça meus filhos e o povo LGBTT.

Como pai tenho o dever incontornável de amar e proteger meus filhos, todos eles, mas estes dois precisam que deles eu cuide com mais intensidade. 

Segundo estatísticas do Grupo Gay da Bahia, de 1º de janeiro de 2012 até 10 de abril ocorreram 422 assassinatos de seres humanos LGBTTs no Brasil, no mais das vezes, Excelentíssima e Obtusa Vereadora, com requintes de extremada crueldade e selvageria, como se os assassinos pretendessem "matar várias vezes" as vítimas.

Afirmo que Silas Malafaia, ao lado de gente da laia de Marco Feliciano e Edir Macedo, dentre outros picaretas da fé, é um dos mandantes intangíveis da matança em curso porque, para mim com clareza solar, o discurso de ódio e de intolerância desta tropa medieval - travestido de pregação religiosa - acaba por conferir ares de quase "missão divina" para a faina dos assassinos.

Eu, minha mulher, nossos filhos e netos não temos do que nos envergonhar, e andamos pelo mundo e pela vida de cabeça altivamente erguida, de modo que, Obtusa Vereadora, manifestamos nosso mais completo nojo por esta sua pornográfica iniciativa a qual, ao fim e ao cabo, pretende homenagear uma das mais abjetas figuras dos escabroso e fedorento mundo do business religioso brasileiro.

Desatenciosamente,

Paulo Roberto Cequinel

(mensagem enviada hoje às 15:45h)

O veneno religioso é pior do que vocês pensam

Copiei do meu amigo Ralf Rickli


O VENENO RELIGIOSO É PIOR DO QUE VOCÊS PENSAM!

Tem pessoas chamando o Feliciano de ignorante porque o fundador do pentecostalismo (cuja corrente mais numerosa é Assembleia de Deus), foi o negro William Seymour, e o Feliciano disse que os africanos foram amaldiçoados. 

Mas Feliciano SABE disso. A coisa é mais grave: o que ele(s) acredita(m) é que AS CULTURAS ORIGINAIS DA ÁFRICA SÃO FRUTO DA MALDIÇÃO, mas, como o próprio Feliciano disse, essa maldição pode ser cancelada "em Jesus Cristo". 

Ou seja: para eles, A MALDIÇÃO É RETIRADA se o africano entrar para a igreja, TRAINDO SUA PRÓPRIA CULTURA E HISTÓRIA - como vemos bem já na vestimenta adotada pelo afrodescendente Seymour nessa foto.

Todo estudioso de religiões sabe que o pentecostalismo foi um sincretismo do protestantismo estadunidense com os ritos de êxtase das religiões afro - assim como a umbanda surgiu como sincretismo desses ritos com (entre outros elementos) o catolicismo, que, com seus santos, JÁ É um sincretismo de cristianismo com o paganismo greco-romano (cujos ritos, a propósito, eram muito parecidos com os africanos; e "paganismo" significa apenas "religião do povo do campo (pagus)", e não "religião do mal" ou algo assim).

Ou seja: Seymour colocou as formas de prática religiosa do seu povo A SERVIÇO DA IDEOLOGIA DOS BRANCOS, expressa (entre outras formas) na religião "cristã" - 

... religião essa que É UM INSTRUMENTO DA DOMINAÇÃO BRANCA, um programa que se instala no cérebro dos não brancos para que eles internalizem mais facilmente a voz e os comandos do opressor, como se fossem deles mesmos ou "de Deus".

Seymour NÃO é bonzinho por ter promovido um reavivamento no evangelicalismo: é duplamente culpado (ele sim) por haver criado um instrumento de opressão mais refinado, capaz de engambelar por igual negros & brancos (sobretudo pobres).

E Feliciano com certeza lhe é muito grato.

domingo, 14 de abril de 2013

LGBTT-fobia e incitação à violência: denúncia ao Ministério Público da Bahia


AO
MINISTÉRIO PÚBLICO DA BAHIA
(procuradoriacriminal@mp.ba.gov.br)

Fernando Costa, que diz ser Professor Assistente da UNEB desde 2005, compartilhou na última sexta-feira, 12/04, imagem desta página (aqui), com manifestação de oposição ao chamado casamento gay, tendo aportado o seguinte comentário à imagem (nossos destaques), como se vê aqui:

Terminantemente. Aliás, eu sou contrário à simples existência de VIADOS. Temos que pensar em como evitar que surjam. No mais, a velha concepção de direitos civis. Direito de expressão, especialmente para os que, dentro de certa variação, seguem a política de valorização da vida, o que os/as BAITOLAS desconhecem.
Sou contra! 
Saiba mais: Ctrl-S Missão Urbana
Repostamos a Imagem, o facebook deletou a 1°.

No sábado, 13, o professor LGBTT-fóbico postou as seguintes pérolas de clara intolerância e de pregação de ódio (nossos destaques):

Diga não ao incentivo à baitolagem!!!” 

e

Meus amigos,
Acabo de receber uma notificação da administração do facebook que viola o meu direito de livre expressão de ideias. Os BAITOLAS ESTÃO GANHANDO. Um simples comentário sobre a necessidade de exterminá-los, trouxe-me o aviso. Curiosamente, podem falar o que querem sobre pretos e pobres. Deve ser porque pensam mesmo que são como podres... Pensam assim e reproduzem isso por onde passam... Minha intenção não é de extermínio físico, mas de pedido que parem de se apresentar como personagens sociais; que espalhem a mentira de que podem ser felizes. Gostaria que entendessem a sua condição de lixo e que não nos obrigassem a mentir.
Reflita sobre como isso interfere em sua vida e não aceite a ditadura CHIBUNGA que querem implantar em nossas casas, através dos meios de comunicação de massa e de um discurso pró-fraqueza e condescências excessivas predominante em nossas combalidas sociedades. É a minha posição a respeito do assunto e vou lutar para pensar e me expressar cada vez mais sobre esses e outros temas que prejudicam às relações humanas, especialmente as amorosas, em muitos sentidos. Não quero me ver impedido de dizer o que penso... Por isso, reforço o pedido de apoio. 
Por favor, quem é inimigo da infelicidade, poste suas opiniões acerca dos VIADOS e demonstre a sua indignação sobre propostas como as de adoção de crianças pelas MENINOTAS, beijo BOIOLA na televisão, Kit-ESQUENTA ROSCA e outras VIADAGENS!... Ah... e diga não à BOIOLAGEM no facebook!!!...
O homem deve ser superado...

Ocorre que dos nossos 6 filhos o mais novo é gay (e nós o adotamos quando ele tinha 10 anos) e a mais nova é lésbica e, como é próprio, temos o dever incontornável de amá-los e de defendê-los de gente desta laia.

Este professor apatifado, que considera-se titular do bizarro “direito” de humilhar, ofender e de pregar o extermínio dos nossos filhos e o povo LGBTT não pode ficar sem resposta.

Não podemos nos calar em face deste canalha absoluto que propõe o extermínio de quem ele considera lixo porque, simples assim, nossos filhos não são lixo, o povo LGBTT não é lixo.

Nós, nossos 6 filhos e 7 netos não temos do que nos envergonhar e andamos pelo mundo e pela vida de cabeça altivamente erguida.

Assim sendo, denunciamos este canalha ao MP/BA para que todas as providências cabíveis sejam imediatamente adotadas para que, ao fim e ao cabo, este incitador de ódio e de violência seja exemplarmente punido.

Nestes termos,
Pedimos e esperamos deferimento.

Paulo Roberto Cequinel 
Sonia Fernandes do Nascimento

(mensagem enviada 14:08h)

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Mãe Menininha do Patuá (sic), nos ajuda porque tá sofrido!

Olha, quando comecei escrever este Blog, era com o olhar da mãe militante. Era para informar e unir os pais de LGBT. Para acabar com estigmas, discutir soluções, enfim…defender nossos filhos. Jamais imaginei que os tortuosos caminhos da política nacional me levariam a fazer crítica musical. Mesmo porque, não estou nem apta para isso.

A única ferramenta que tenho a mão é meu gosto muito pessoal, que pode ser bom ou mau, mas não interessa, porque é meu. Sendo muito eclética, consigo passear por muitos estilos. Consigo ir de Nina Simone a Guns N’ Roses, de Edith Piaf a CeeLo Green, de Mika a Cartola, de Chico a Florence, de Arnaldo Antunes a Depeche Mode, de Mariana Aydar a Franz Ferdinand, de Amy a Erasure, de Cidade Negra a The Killers, passando por Noel Rosa, Moby, Gonzaguinha, Scissor Sisters, Martinália, Almir Sater, Frank Zappa, Ana Cañas, Peter, Bjorn & John e Nando Reis e parando em Adele…tudo no mesmo dia.

E para ninguém achar que sou paulistana preconceituosa, vou dizer que já tive uma fase Banda Carrapicho (A-DO-RO) e que acho a voz do Leonardo… LINDA. Mas tudo isso faz parte da minha OPINIÃO PESSOAL. Minha vida é musical, não sei fazer nada sem música. Sabe, tenho dois filhos, André e Gabriela, que para mim, são Dé e Bi. A Gabriela se chama Gabriela, é claro, em homenagem ao MAESTRO que para mim é divindade, Tom Jobim. Quando eles eram pequenos, eu cantava para eles LET IT BE, DÉ E BI. Cantava tanto que virou lenda na minha casa.

Um dia o André me contou que Paul McCartney fez Let it Be para a mãe dele. Gente, nem dá para acreditar que uma pessoa dessa tinha mãe, fala sério. Um tempo depois, me aparece André com o Let it Be tatuado no braço, segundo ele, em minha homenagem. Emoção define esse momento. Lembrei-me daquela: quero ficar no seu corpo como tatuagem…que é pra te dar coragem de seguir viagem quando a noite vem…Put’s, já tô quase chorando.
Meu filho André e sua tatuagem: homenagem


Nasci nos anos 60, Beatles foram e, depois da tatuagem, vão ser para sempre parte da minha vida. AMO BEATLES. Saber que o Pai, o Filho e o Espírito Santo mataram John Lennon foi um choque. Será que isso já é formação de quadrilha? Gente, juro, quase cortei os pulsos com a faca do bolo Pullman quando soube. Mas e agora que Jesus declarou desagravo aos Beatles através da voz do profeta, será que algum tatuador consegue mudar o Let it Be do André? Quem sabe escrever em cima, Deus salve a Rainha…não God save the queen, acho mais chique. Ou Ordem e Progresso ou Brasil o país do retro…ops…futuro…ahhhhhhh…essa vai ficar legal! Mas é melhor ainda um Jesus me segura senão vou cair! Assim Jesus pensa antes de matar meu filho se ele fizer alguma coisa errada.

Olha, mas esse mundo tá tão perdido, a informação está correndo tão depressa, que ainda nem bem me recuperei do choque, fico sabendo que o capiroto, o cramulhão o mesmo que andou dando assessoria lá no Congresso, é do departamento de marketing do Caetano! E que atende pelo pseudônimo de Mãe Menininha do Patuá (SIC)! Como assim Brasil? MEU DEUS onde esse mundo vai parar ? Bem que, quando ele cantava aquele descaramento de “sem lenço, sem documento”, eu devia ter desconfiado. E eu, burra, inocente, coitada de mim, cantava o dia todo…caminhando contra o vento…E essa nova agora ??? Daniela Mercury, SA-PA-TÃO? Bem que, quando ela cantava “ a cor dessa cidade sou eu”, eu devia ter percebido! Que horror, o mundo tá perdido! Como ela, pessoa publica ousa ser essas coisas ??? E vai a gente falar alguma coisa , vem a GAYSTAPO e fala que é Bifobia. Sorte que ninguém tem coragem de aprovar esse tal PCL122, assim a gente pode falar o que quiser que não é crime mesmo…HIHIHI !
 
Bem feito ! Esse povo gaysista não entende que homem tem cromossomo e mulher tem óvulo. Ficam falando de genética só para embaralhar a cabeça da gente e fingir que são inteligentes. Olha, na semana passada, fui ao show da Bethânia no HSBC e, quando ela cantou Reconvexo, tive a nítida sensação de que a mão de Deus estava por ali. Muuuuito mais caro que tomate, mas valeu cada centavo.

Realmente, me senti possuída por anjos e tive a absoluta certeza que aquela voz era sobrenatural, mas achei e continuo achando que era DEUS. Será que o departamento de marketing é o mesmo do irmão? Tadinha da Dona Canô, fazia até novena, e os filhos foram dar nisso. Que absurdo. Eu tô frustada com essa Música Popular Brasileira. Tô pensando seriamente em andar na linha para ir pro Paraíso, que lá só tem virtuose…Joelma, os tocador de harpa, o cantor pastor…como chama mesmo? Ai, Meu Deus, acho que preciso pensar mais um pouco, porque sabe…não gosto de harpa. Vou ficar tentada a imitar Katylene e vou acabar gritando: PEGA OS BARDEEEEE pra eu vomitar!!! Caetano e John Lennon vão estar lá no…HELL ? Jesus, eu te amo…mas você vai ficar MUITO bravo comigo se eu preferir ir pra lá? Sabe… é que é uma eternidade toda…HAJA BARDE!!!!!!!!!!!!!!!

E para ninguém dizer que não vou dar uma de DJ…vou deixar para vocês duas sugestões. Na verdade, são duas homenagens …BEZERRA DA SILVA E MARIA BETHÂNIA… Espero que vocês gostem!!! Beijos até semana que vem!

quarta-feira, 10 de abril de 2013

O triunfo da ditadura gay: estudo fala em desaparecimento do cromossomo Y

O Serviço de Alto Falantes Ornitorrinco, ao cumprimentar os presentes nesta quermesse em louvor de São Malafaia Bolsonaro da Intolerância, deixa claro que a cruel, horrrorrrozza e malemolente ditadura gay tem data marcada para começar: daqui a 5 milhões de anos, como sumiço do cromossomo Y, todos nascerão gays, o que se constitui em afronta aos planos do deus do impossível, o qual, como todos sabemos, criou o homem a partir de um pelote de barro ungido e, logo depois, criou a mulher a partir de uma costela sancta!
São Marco Feliciano do Ódio Religioso, rogai por nós!

---xxx---

Copiei de Luis Nassif

Estudo fala em desaparecimento do cromossomo Y
Por Paulo F.
Do Diário de Notícias de Lisboa

Estudo prevê extinção do sexo masculino em 5 milhões de anos
por Paula Mourato

Dado a fragilidade do cromossoma Y - gene que determina o sexo masculino - um estudo da investigadora australiana Jennifer Graves prevê que o sexo masculino esteja em extinção dentro de cinco milhões de anos.

A cientista da Universidade de Camberra explicou a sua investigação durante uma palestra na Academia Australiana de Ciência afirmando que a questão do desaparecimento do cromossoma Y é "um acidente evolutivo".

Na palestra "O Declínio e a Queda do Cromossoma Y e o Futuro do Homem", Jennifer discutiu o desaparecimento do cromossoma e as implicações para o ser humano. A cientista ainda não sabe o que vai acontecer quando o cromossoma Y desaparecer totalmente, mas faz o paralelo com uma espécie de roedor que vive no Japão que consegue reproduzir-se sem o cromossoma Y.

Recordando que os homens têm cromossomas XY e as mulheres XX, Jennifer Graves disse que a estrutura do Y apresentar-se hoje mais frágil em relação ao X. Sendo que há três milhões de anos, o cromossoma Y tinha cerca de 1400 genes, agora tem menos de 100 e a tendência é diminuir, essa fragilidade pode significar o seu desaparecimento no futuro.

Apesar da descoberta, Jennifer Graves não acredita no fim da humanidade porque a desintegração do cromossoma Y pode levar a que outro cromossoma - que ainda não sabe qual - desempenhe o seu papel originando assim uma nova espécie.

terça-feira, 9 de abril de 2013

Nova Iorque, Edifício Dakota, 9 de dezembro de 1980: Mark Feliciano, lembram dele?

Copiei de Yahoo Notícias - José Guilherme
(O título acima é meu)


Mark Feliciano
Por José Guilherme

Quando um homem sobe ao palco e, diante de mil pessoas, faz a apologia de um assassinato notório... e o faz em nome de religião... não se iludam: o mundo já acabou.

O herói de Marco Feliciano chama-se Mark Chapman. Em 9 de dezembro de 1980, Chapman esperou por John Lennon, na frente de sua casa, em Nova Iorque. Às cinco da tarde, pediu-lhe um autógrafo na capa do LP "Double Fantasy". Postou-se depois num canto da entrada do prédio onde Lennon morava, o famoso edifício Dakota. Às 22h50, quando Lennon e sua mulher Yoko Ono voltaram, Chapman matou-o com cinco disparos pelas costas, quatro dos quais o acertaram. Foram quatro, não foram três, como quer Feliciano.

John Lennon foi o corpo e a alma da virada cultural dos anos 1960 e é compreensível que Feliciano o deteste. Afinal, a virada cultural à frente da qual estiveram Lennon, os Beatles e tantos outros foi uma revolução incompatível com os princípios comportamentais hoje defendidos por alguns fanáticos alegadamente cristãos. Nesse ponto, não adianta fingir espanto. O fanatismo religioso não varia na sua estrutura: sempre almeja a morte do diverso, de tudo o que é divergente de si.

Gente como Feliciano, de resto, não parece gostar muito de música, exceto a música "funcional", que serve aos propósitos específicos de sua doutrina. Isso também ajuda a entender seu desprezo por Lennon e a facilidade com a qual transpira em êxtase, na gravação, para glorificar o assassinato do ex-beatle. Para Mark Feliciano, a morte trágica de Lennon não é um efeito de nossa loucura pop, individual e coletiva. É uma prova concreta da existência de seu deus castigador e justiceiro. Um deus Thor, furioso cuspidor de raios.

Para Feliciano, Chapman foi um instrumento da justiça divina na Terra. Um anjo, portanto. Mas John Lennon, com a verve que marcou sua carreira, "comentou" o episódio antes mesmo que acontecesse. E deu uma resposta antecipada ao grotesco teatral que esse video nos trouxe. Perguntado por um jornalista sobre como esperava morrer, ainda nos anos 60, Lennon respondeu jocosamente: "Serei provavelmente pipocado por um lunático" ["I'll probably be popped off by some loony"]. Só não previu que um "pastor de almas" faria o elogio catártico do homicídio, 30 anos depois, no palanque de uma igreja suburbana latino-americana.

Caetano Veloso deveria fazer uma canção sobre isso.

Onaldo Pereira: Tenho medo sim. Temos medo. Não só dos evangélicos, dos cristãos, da religião em si!

O Serviço de Alto Falantes Ornitorrinco cumprimenta os presentes nesta tétrica quermesse em louvor de São Marco Feliciano das Fogueiras Santas e, por relevante, proclama: estejam, pois, todos muito bem avisados!
---xxx---
Copiei de Onaldo Pereira
 
Hoje fui acusado, com alguma acurácia, de “evangélicofobo”. 
Respondi que nada posso fazer, é o instinto de sobrevivência falando mais forte, a presa que se esconde do predador.
A pessoa que me lançava na cara este feio neologismo, acrescentou: “Mas logo você, que foi evangélico a maior parte de sua vida, estudou teologia e foi pastor por mais de 15 anos?!”
Exatamente, acudi, porque conheço os intestinos da besta fera, ouvi centenas de pregações contra os homossexuais – chamando a AIDS da merecida peste gay, etc. – acompanhei as intermináveis conversas sobre o assunto, fiz estudos, exegeses, li centenas de livros a respeito (guardo muitos desses livros), que quando vejo um movimento xiita homofóbico, como o que corre solto no Brasil agora, entro em pânico. E, pior, já senti na carne o peso dessa mão. Em 1994 casei o Luis Mott, do GGB, com o Marcelo. De volta à Rio Verde, GO, tive a minha casa apedrejada muitas vezes e incendiada ao som de hinos. A minha família, um padre, meu amigo e outros foram ameaçados de morte. E, muitas outras “coisinhas” aconteceram!
Ouço a palavra: evangélico e tenho taquicardia, suores frios. Eu sei bem do que se trata, eu fui do meio, de sua liderança culta e bem instruída ( que hoje fica cada vez mais rara). Tenho medo sim. Temos medo. Não só dos evangélicos, dos cristãos, da religião em si!

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Nossa Senhora do Trabalho Precarizado, rogai por nós!

O Serviço de Alto Falantes Ornitorrinco, ao cumprimentar os presentes nesta grandiosa quermesse em louvor de Nossa Senhora do Trabalho Precarizado, informa que o workshop presencial é gratuito e as vagas são limitadas.
Corram, viuvinhas sem porvir de são josé serra atingido, de são aécinho cambaleante neves e de santa marina esverdeada!

---xxx---
Copiei a imagem de Claudio Kerber

sábado, 6 de abril de 2013

Carta aberta aos líderes partidários da Câmara dos Deputados: FORA, FELICIANO!


Liderança do Governo: dep.arlindochinaglia@camara.leg.br
PMDB: lid.pmdb@camara.leg.br ou dep.eduardocunha@camara.leg.br
PSDB: dep.carlossampaio@camara.leg.br
PSD: dep.eduardosciarra@camara.leg.br
Bloco PR, PTdoB, PRP, PHS, PTC, PSL, PRTB: dep.anthonygarotinho@camara.leg.br
PP: dep.arthurlira@camara.leg.br
DEM: dep.ronaldocaiado@camara.leg.br
PSB: dep.betoalbuquerque@camara.leg.br
PDT: dep.andrefigueiredo@camara.leg.br
PTB: dep.jovairarantes@camara.leg.br
PSC: dep.andremoura@camara.leg.br
PCdoB: dep.manueladavila@camara.leg.br
PRB: dep.georgehilton@camara.leg.br
PSOL: dep.ivanvalente@camara.leg.br
PMN: dep.dr.carlosalberto@camara.leg.br
(enviado às 17:00 horas)


Senhor Deputado:

Esclarecemos, por importante, que escrevemos marco feliciano assim mesmo, com letras minúsculas e diminutas, para que fique muito claro o que pensamos a respeito deste pulha.

Eis que o Partido Social Cristão resolveu entregar a presidência da Comissão De Direitos Humanos e de Minorias para o lamentável e asqueroso deputado marco feliciano, racista, LGBTT-fóbico, misógino e demonizador das religiões de matriz africana, conforme se pode constatar em jornais e vídeos facilmente acessíveis e, mais ainda, este patife vem afirmando, de forma mentirosa e calhorda, que os protestos contra ele são de iniciativa apenas do movimento LGBTT, que proclama serem seus inimigos, vez que pretende destruir a família e a religião, e convoca seus seguidores para uma espécie de guerra santa contra o povo LGBTT e suas lideranças, o que nos parece namoro perigoso com o fascismo.

Ocorre que temos seis filhos, sendo o mais novo gay e a mais nova lésbica. Não há nada de errado com eles, pois não são doentes, não precisam de cura ou porcaria assemelhada e, ao fim e ao cabo, são iguais aos outros irmãos e as outras pessoas: estão estudando e trabalhando, querem amar e ser felizes, querem viver com dignidade e em paz. Nossa família não se nega e não se esconde porque andamos pelo mundo e pela vida de cabeça erguida: afinal, não temos do que nos envergonhar. 

Lembramo-nos que em 2011 este fanático religioso obtuso disse que "a podridão dos sentimentos dos homoafetivos levam [sic] ao ódio, ao crime, à rejeição".

Temos o dever incontornável de amar incondicionalmente e de defender nossos filhos, todos eles, mas os dois que são LGBTT merecem proteção mais clara e decidida de nossa parte porque, queremos deixar isso muito bem assentado, pessoas da laia de marco feliciano e dos fundamentalistas religiosos - que só fazem vomitar ódio - colocam suas vidas em perigo.

O deputado e pastor marco feliciano é, com clareza solar, um dos mandantes intangíveis dos assassinatos de pessoas LGBTTs, matança que, de desde 1º de janeiro de 2012, atingiu 413 famílias brasileiras, só para citar os números mais recentes. Estas famílias LGBTTs atingidas pela dor infinita da perda de um dos seus, seriam formadas por pessoas abomináveis que ameaçam as chamadas "famílias normais"? Resta evidente que não. 

Nossos filhos estão em perigo e nossa família sob grave ameaça.

Assim sendo, na condição de cidadãos, pai e mãe, avós e militantes sociais e políticos, por considerar que marco feliciano na presidência da CDHM é um insulto contra o povo brasileiro, exijimos que este sujeito moralmente desqualificado e incitador de ódio, seja imediatamente apeado do cargo e que, mais ainda, a referida comissão tenha sua composição modificada para que seus integrantes sejam, de fato, homens e mulheres identificados com a luta permanente pelos Direitos Humanos!

VIVA A VIDA!
VIVA A DIVERSIDADE!
VIVA A LUTA PELOS DIREITOS HUMANOS!
FORA FELICIANO!

Paulo Roberto Cequinel 
Sonia Fernandes do Nascimento

sexta-feira, 5 de abril de 2013

A homofobia nas escolas públicas e a teoria dos dois corpos do gay

Copiei este texto instigante de Evolução LGBTT

Dou aula numa escola pública do Rio de Janeiro há algum tempo. Uma coisa que sempre me surpreendeu nas escolas públicas é a quantidade de alunos gays e lésbicas ASSUMIDOS. Mas eles não são só assumidos. Eles são absolutamente inseridos na escola e absorvidos. Há até relatos de que rola uma meinha solta nos banheiros.
Durante muito tempo eu quase cometi o erro de dizer que não havia homofobia na escola pública.
No entanto, a despeito das aparências, é preciso analisar os fatos de forma mais aprofundada. Se é bem verdade que muitos gays estão em salas de aula bem integrados, NENHUM, ABSOLUTAMENTE NENHUM DESFILA COM O NAMORADO PELA ESCOLA.
Então, a história é um pouco mais diferente do que como eu pensava.
Para analisar o fim da homofobia, proponho uma teoria baseada no historiador Ernst Kantorowicz que dizia que os Reis na Europa tinha não um, mas DOIS CORPOS - o seu corpo natural ou material e o corpo místico, que era o imaginário esotérico-religioso construído sob a imagem real.
Analogamente, os gays também tem dois corpos - O INDIVIDUAL E O SOCIAL.
O corpo individual do gay é aquele que se relaciona com a sua existência individual. A aceitação do corpo individual do gay se dá quando ele - enquanto indivíduo - é aceito ou "tolerado" em certos espaços. Pode-se dizer que a aceitação desse corpo do gay é quando os heterossexuais fazem o "graaaaaande favor" de tolerar a presença ou a existência dos LGBTs.
Com relação à aceitação do corpo individual, muito já foi feito em nossa sociedade.
No entanto, DE FORMA ALGUMA ISSO SIGNIFICA O FIM DA HOMOFOBIA.
O corpo social é uma outra dimensão do gay. É aquela que o vê e o CONSIDERA enquanto um ser social merecedor dos mesmos direitos e deveres impostos a qualquer outro indivíduo da sociedade.
Já disse isso anteriormente, mas agora está estruturado na forma de uma teoria.
Muitos gays acham que seus pais não são homofóbicos por eles os terem "aceitado". Mas eles NUNCA foram com o companheiro na casa dos pais mesmo depois de ter feito o outing há 30 anos!
Muitos gays acham que a instituição religiosa que frequentam não é homofóbica porque elas toleram a presença dele - gay assumido - ali. Mas e se ele quiser se casar, o que aconteceria?
Assim, muitos acham que na escola pública não há homofobia. Mas e se um casal de meninos andasse de mãos dadas na escola, o que aconteceria?
Ainda hoje eu me faço essa pergunta. Espero que algum dia um aluno meu possa me responder. 
A aceitação do corpo social do gay é poder circular livremente com seu cônjuge nos espaços públicos, se ver representado positivamente nos meios de comunicação e ter o acesso ao casamento civil.
A definição e o entendimento da aceitação do corpo individual e do corpo social dos LGBTs é fundamental para uma boa compreensão do que é homofobia e de como anda a luta contra ela.
Às vezes eu penso que o corpo social é até mais importante do que o corpo individual.
Para mim, tolerar a minha presença enquanto indivíduo e dizer que me ama, É LIXO. A verdadeira inclusão está na aceitação dos dois corpos do gay - o individual e o social. Na verdade, acho até que se a inserção do corpo social estivesse resolvida, o fato de as pessoas vão tolerar ou não a minha presença enquanto indivíduo é TOTALMENTE IRRELEVANTE.
Prefiro que as pessoas aceitem os dois corpos me odiando, do que aceitando um só e tendo a pachorra de dizer que me ama.
O que vocês pensam sobre isso?

A fábrica de merda do marco feliciano produz mais uma: um "diploma" de defensor dos direitos humanos!

O Serviço de Alto Falantes Ornitorrinco cumprimenta os obtusos presentes nesta grandiosa quermesse em louvor de São Marco Feliciano das Picaretagens para dizer que, graças ao Pavablog (texto e imagens), desvenda-se mais esta trambicagem do pastor racista, homofóbico, misógino e demonizador das religiões de matriz africana. 
Não pode haver nenhuma dúvida: Marco Feliciano é como a Usina de Chernobyl, lembram dela? Só que, ao invés de espalhar radioatividade, o jaguara religioso produz merda sem nenhum controle.
Leiam e divirtam-se.
---xxx--- 
O Diploma do Grande Trambiqueiro
Diplomado: Defensor dos Direitos Humanos ‘respaldado’ por resolução da ONU e decreto de Lula
Imagem: Pavablog
O Presidente trambiqueiro da federação trambiqueira
elizeu
Imagem: Pavablog

Deslumbrado com o "nível" (vejam a nota abaixo reproduzida) do presidente de tão importante organização, fui pesquisar um pouco sobre a trajetória dele.
Em maio de 2009, a Polícia Federal fechou no DF a tal "Delegacia Nacional de Defesa dos Direitos Humanos", apreendendo no local uniformes, coletes, distintivos, carteiras funcionais e adesivos para veículos.
Segundo esta matéria, o tal conselho atuava ainda em Itamaraju, cidade baiana na qual o presidente também era pastor evangélico. Ele teria fugido da cidade após ser acusado de estupro por uma adolescente. Revoltada, a população local ateou fogo no carro do pastor-otoridade.
Confiram aqui documento expedido em 2009 por procuradora da república citando o presidente da comissão em crimes de estelionato e falsificação de sinal público.
Em 2010, elizeu publicou em seu perfil no twitter a msg abaixo mencionando o apresentador carlos massa:
@elizeufagundes 3 ago 10
@ratinhodosbt Ratinho eu sei como desapareceu a Elisa Samudio isso é uma revelação, Bispo Elizeu Simoes.

---xxx---
Com esta nota indigente, que copiei daqui, o presidente da tal federação "explica" o súbito diploma, conferido ontem, 04 de abril de 2013 (os destaques são do Ornitorrinco).

O Presidente da Federação Brasileira dos Direitos Humanos, se encontrou com o Presidente da Comissão dos Direitos Humanos e Minorias, o Pastor e Deputado Marcos Feliciano.

A FEDERAÇÃO FBDH, quer conhecer as proposta de trabalho do Dep. Pastor Marcos Feliciano, frente a Comissão CDHM, e colaborar na defesa das minorias, grupos vuneraveis e na politica de telerancia religiosa.
Para o presidente da Federação Elizeu Rosa, O Deputado Marcos Feliciano tem a oportunidade de mostrar seu trabalho, provando que tem capacidade de continuar na presidência da CDHM, Segundo Fagundes, é muito sedo para Julgar a administração de alguém no inicio do seu trabalho, a Federação vai intermediar com alguns grupos de Direitos Humanos, uma forma de deixa o Deputado Feliciano trabalhar nos primeiros meses de sua presidência frente a Comissão CDHM, para ele provar o contrario do que as pessoas propagam ao seu respeito.
A Federação dos Direitos Humanos, se mostrou preocupada, com o novo cenário politico atual, e disse que violar a constituição em nome de uma bandeira ou um grupo, causando baderna, depredando igrejas, usando de violencia e insitando e a violência, fere o estado democrático de direito.
Para a Federação FBDDH, a eleição do Dep. Marcos Feliciano, foi legitima, democrática e legal, cabe ao colegiado julgar sua permanencia ou nao frente a CDHM.
FBDH.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

São Marcos Feliciano do Ódio Assassino e sua pregação: a faca mortal da LGBTT-fobia vai sendo afiada todos os dias

O Serviço de Alto Falantes Ornitorrinco, ao cumprimentar os fanáticos presentes nesta mortal quermesse em louvor de São Marcos Feliciano do Ódio Assassino, divide com homens e mulheres de boa vontade, sejam ateus, cristãos, evangélicos, muçulmanos, judeus, com o povo das religiões de matriz africana, com os povos das religiões todas, esta luminosa declaração de amor e, como é próprio de luta!
Maju Giorgi, obrigado!
---xxx---
(O título é de minha responsabilidade)


AMAM, DESDE QUE…

Eu adoraria poder ser rápida, mas hoje talvez não consiga, então tenham paciência comigo. Aguinaldo Silva, foi o primeiro a sofrer com os ataques dos fãs da Joelma. Foi inclusive ameaçado de morte, coisa que esta virando moda. Aguinaldo Silva, Jean Wyllys, Maria Berenice… qualquer um que levante a voz a favor dos gays pode ser alvo. Quem será o próximo? Sinceramente, eu não sabia direito quem era Joelma até uns três dias atrás. Sabe quando eu perderia meu tempo escrevendo ou pensando ou destilando preconceito sobre a Joelma? Jamais! 

E luto por um mundo onde todos façam o mesmo. Mas, depois das declarações da Joelma, eu quis sim, virar a moeda do outro lado, para que ela fosse alvo de  preconceito por uns dias, assim como os gays são por séculos. O preconceito é inerente ao ser humano. Todos podemos ser alvo dele e  todos temos os nossos, mas temos também a opção de tira-los do bolso ou não em nome dessa tão famigerada liberdade de expressão.

Eu não tiro os meus, mas neste específico caso, quis realmente ver o que aconteceria quando o agente do preconceito virasse o alvo. TODOS os que falaram contra Joelma, foram massacrados pelos fãs dela. Isso se chama revolta, coisa que os gays sentem todos os dias da sua vida. Sou administradora do CARTAZES & TIRINHAS LGBT, um dos meus maiores orgulhos aliás por todo serviço que presta na luta por liberdade, e ontem, vimos os fãs de Joelma invadindo o nosso espaço enlouquecidos. Eles não deixam de ter razão, estão defendendo o que acreditam. Da mesma forma que nós da comunidade LGBT também temos o direito de enlouquecer, quando alguém que não sabe o que é ser gay, nunca viveu essa realidade, não foi gay nem por cinco minutos nessa vida, se acha no direito de sacar seu preconceito do bolso, e disparar contra quem esta quieto.

E não interessa, que seja baseado na religião, na opinião pessoal, na leitura dos astros, na borra do café ou qualquer motivo que seja. Quando você faz uso do preconceito, você abre antecedente para provar do próprio veneno. NÃO É HOMOFOBIA, dizem os fãs de Joelma. Não é homofobia para quem não sente na pele, para quem sente, é homofobia sim.

Homofobia não é só matar. A homofobia se apresenta em vários graus. Tudo que endosse o preconceito é preconceito. Na comunidade LGBT usamos um termo  para o que a Joelma fez. Ela afia uma faca metafórica, um preconceito, que vai incentivar outro a matar ali adiante. Graças aos amoladores de faca, nós pais de LGBT não dormimos a noite. Ser brega Joelma, é uma opção sua que todos temos que respeitar, e ser gay é uma condição do outro que você deveria aprender a respeitar também.

Por isso eu peço a todos uma reflexão… até que ponto vai a liberdade de expressão? Quando atinge o limite da civilidade e do respeito, continua sendo liberdade de expressão? Me disse uma fã de Joelma ontem no CARTAZES & TIRINHAS: os gays não podem reagir, porque perdem a simpatia das pessoas. Então, gays tem que ser saco de pancada, alvo de piada, sinônimo de pecado, cidadãos de segunda classe, potenciais vítimas de tortura e assassinatos... quietos, para não perder a SIMPATIA?

Se os negros ficassem quietos esperando a simpatia, talvez ainda estivessem amarrados dentro do navio negreiro, se mulheres pensassem assim, talvez ainda estivessem procurando a chave do cinto de castidade. Aonde, menina, fã de Joelma, inocente tadinha, você ouviu falar que liberdade se alcança por osmose e sem luta? E aquela parte do discurso: NÓS AMAMOS OS GAYS, MAS NÃO AMAMOS A PRÁTICA. Eu gostaria de entender essa lógica: amam, desde que não sejam o que são? Amam, desde que façam votos de celibato e deixem de ser? Amam desde que aceitem Jesus interpretado da sua forma, num mundo plural com infinitas crenças e com interpretações diferentes desse mesmo Jesus? Amam, desde que finjam que estão curados de uma doença imaginária? Amam, desde que sejam discretos? Amam desde que aceitem que ser pedófilo é o estágio avançado da doença? Amam desde que entendam que seus sentimentos são podres? Amam desde que aceitem que a AIDS é uma doença gay e que todo o ressentimento do mundo com a AIDS recaia em cima deles, só deles? Amam desde que não reajam a nenhum tipo de agressão? Amam, desde que não lutem por seus direitos? Amam, desde que aceitem ser os portadores eternos dos estigmas impostos pelo imaginário coletivo? Amam desde que não frequentem os mesmos lugares que as suas famílias e se contentem com o gueto? Amam desde que não tenham direito a defesa? Amam desde que possam pisotear armados da tal da liberdade de expressão? Amam desde que se resignem a ser eterno alvo de piada de mau gosto? Amam desde que possam continuar sendo imitados como aberrações grotescas em seus programas de humor? Amam desde que possam chamar de bixa, chinelão, viado e  traveco? Amam desde que entendam que não são humanos merecedores do amor divino? Amam desde que entendam que héteros e cristãos são superiores? Amam desde que se sintam livres para compara-los com zoófilos, necrófilos, pedófilos, bandidos, assassinos, drogados e pervertidos? Amam desde que não possam casar? Amam desde que não possam adotar? Amam desde que nenhuma lei tire a liberdade de agredi-los de toda e qualquer forma?

Que amor mais condicionado é esse? Isso não é amor, é opressão!  Que sociedade mais magnânima!!! Me desculpem, mas para mim isso não é amor e nunca foi. Isso são as muitas faces da hipocrisia. Amor é o incondicional. E me desculpem, não preciso nem de simpatia, nem desse amor torto. Preciso é de direitos e de leis aprovadas ! Não precisamos de tolerância, precisamos de respeito! E prefiro continuar lutando porque me incomoda muito mais ver a injustiça que ser chamada de gaysista, gaystapo, satanás ou qualquer outro rótulo com que queiram me agraciar! Tem muita gente se achando procurador de Deus, mas eu só aceito ser julgada pelo próprio!