SOBRE O BLOGUEIRO

Minha foto
Antonina, Litoral do Paraná, Palestine
Petroleiro aposentado e petista no exílio, usuário dos óculos de pangloss, da gloriosa pomada belladona, da emulsão scott e das pílulas do doutor ross, considero o suflê de chuchu apenas vã tentativa de assar o ar e, erguido em retumbante sucesso físico, descobri que uma batata distraída não passa de um tubérculo desatento. Entre sinos bimbalhantes, pássaros pipilantes, vereadores esotéricos, profetas do passado e áulicos feitos na china, persigo o consenso alegórico e meus dias escorrem em relativo sossego. Comendo minhas goiabinhas regulamentares, busco a tranqüilidade siamesa e quero ser presidente por um dia para assim entender as aflições das camadas menos favorecidas pelas propinas democráticas.

domingo, 30 de setembro de 2012

Paul Rodgers: Muddy Water Blues

Electric Version
 
Acoustic Version

Eleições em Antonina: a santificação de Munira Peluso e as piruetas retóricas de Luiz Henrique

Neste belo e ensolarado domingo, de temperatura agradável, o Serviço de Alto Falantes Ornitorrinco oferece aos incautos navegantes estas singelas anotações sobre a nossa campanha eleitoral.

A santificação de Munira Peluso 
No Blog do Rosil leio - e quase vou às lágrimas - que Munira Peluso "é  uma guerreira contra três homens impiedosos", o que me leva a admitir que a maldade humana não tem mesmo nenhum limite.  
Menos, prezado Rosil, aliás muito menos.
Munira disputa tão somente o cargo de prefeita e não um lugar no panteão dos mártires da cristandade até porque, com os inumeráveis problemas legais que precisa resolver, desconfio que o TSE Celestial irá indeferir suas pretensões à santidade.
Quanto ao cargo de prefeita, lamento informar que a vaca foi pro mangue, como sói (*) acontece nestas paragens.

As piruetas retóricas de Luiz Henrique 
Já no indispensável Amigos do Jekiti, meu amigo Luiz Henrique corajosamente tenta defender a candidatura João Dhomero, cuja consistência política e programática é pior que a defesa do Coxa, a mais vazada no Brasileirão.
Começa que Luiz reconhece que João tem "frágil projeto de governo", o que na verdade é uma forçada de barra, vez que o próprio admite em seus comícios que depois que assumir é que verá o que deve ser feito, ou seja, ele não tem a mais remota ideia do que faria se eleito fosse, o que significa que nem mesmo uma porcaria de um frágil projeto ele tem, e isso precisa ficar muito claro.
Mas, prossegue Luiz, quando João alia-se "a Canduca essa lacuna se preenche e a instalação da Techint, o aparelhamento do hospital e as outras obras que estão em andamento constituíram seu programa de governo".
Trata-se de outra magnífica pirueta retórica, e sem a indispensável rede de proteção. Ora, a instalação da Techint está definida e as suas atividades (privadas) não terão, por óbvio, nenhuma ingerência da administração municipal e, concluídos o aparelhamento do hospital e as obras em andamento, no máximo até meados de 2013, retornamos à vaca fria, ou seja, João Dhomero fará cara de cachorro que caiu do caminhão de mudanças: o que estou fazendo aqui?
De outra banda, Luiz não faz justiça à sua aguçada capacidade de análise quando afirma que João "deixou de ser uma espécie de Dom Quixote que lutava contra os moinhos de ventos, representados pelas grandes coligações" e que sua "sua virtude" é não ter-se desviado "dos seus princípios para chegar à prefeitura", por não ter feito "pactos nefastos" e nem "alegorias para pegar o diabo pelo rabo e nem fez da sua trajetória política um meio de conseguir o poder a qualquer custo". 
Menos, meu prezado Luiz Henrique, muito menos.
Não duvido que João tenha seus princípios,  mas se não fez alianças não foi por "virtude" coisa alguma, permita-me a necessária franqueza: ou não teve competência política ou as demais forças não aceitaram suas propostas, ou as duas hipóteses juntas, muito provavelmente.
Reconheço que tenho o andar, o jeitão e cara de bobo, mas há um problema insolúvel para os "purinhos": eu não sou bobo.
Desconfio desta candidatura porque João Dhomero reapresenta o discursozinho safadinho e manjadinho do anti-político que caminha sozinho contra os políticos do mal, e proclama que só depois de assumir é que vai ver o que precisa ser feito.
Como levar a sério um candidato que promete em comícios que a cada seis meses trocará os secretários que, a seu juízo, não estejam dando conta do recado, se o próprio prefeito desde já admite que não sabe o que fazer?
(*) Prezado Urublues: esta é a primeira vez que, em sua homenagem, arrisco utilizar esta palavra. Espero ter acertado. Abraços ao Gusano.


sábado, 29 de setembro de 2012

Não é irônico pensar que se deus morresse ele iria direto pro inferno?

Copiei de Monólogos Com Deus

Suponhamos que o Senhor fosse um ser humano comum, sujeito às penas da lei e fosse pobre como a maioria esmagadora da sua criação, isto é, estivesse impossibilitado de recorrer a um advogado que distorcesse os fatos e contornasse as leis a seu favor. Suponhamos ainda que você fosse intimado ao tribunal para julgamento, e que você não fosse amigo do juiz e nem o tivesse subornado: você tem noção de que nem o júri mais perverso, corrompido e depravado do mundo o livraria da condenação? É óbvio que você está acima de qualquer julgamento terreno, pois é o criador de tudo, onisciente e justo por si, alheio até aos seus próprios mandamentos, mas consideremos isso como um exercício mental, eu sei que isso não o fará se sentir nem um pouco culpado.

Primeiramente você seria indiciado por falsidade ideológica, pois o cristianismo é tão subdividido e suas imagens tão distintas que você tem mais identidades falsas que o próprio Zeus quando se disfarçava para foder alguma mortal. Acrescente a isso formação de quadrilha, pois quando se monta um grupo com mais de cinco criminosos, você está sujeito a isso: o Vaticano, com seus arcebispos e frades, já poderia ser considerado algo como a Cosa Nostra. O Papa seria facilmente condenado por crimes contra a humanidade se ele não vestisse o manto da impunidade, e ele se diz seu representante, assim como cada subchefe das quadrilhas espalhadas pelo mundo em suas igrejas e templos, isentas de impostos e livres para lavar dinheiro e cérebros ao mesmo tempo. Se você não fosse condenado por liderar essa raça de víboras, com sua atitude passiva perante os crimes da igreja você seria considerado cúmplice, e também poderia ser condenado por omissão de socorro às vítimas dos seus “representantes”, pois a maioria delas foi aliciada, roubada, estuprada e assassinada clamando por sua ajuda, pelo seu perdão e consolo.


Porém, ó lástima, a quem elas pediam ajuda? A um déspota assassino semelhante a seu carrasco terrestre. Quantas pessoas você matou desde que criou a humanidade mesmo? Você não sabe, não é? Eu também não sei, mas o único registro que nos resta para averiguarmos isso é a Bíblia Sagrada, escrita ou inspirada por você há mais ou menos 2.500 anos. É um livro antigo, retocado por tantos e com tantos erros de copistas que já não me parece um documento tão confiável, mas vamos a ele, pois se o que estamos procurando são seus crimes, eles não foram censurados: os monges gostam de ostentá-los para coagir os pecadores.


Desde a última vez que eu conferi, se nenhum copista alterou nada desde que morri, você havia matado, mandado matar ou provocado a morte de 2.270.365 pessoas. Dois milhões, duzentos e setenta mil, trezentos e sessenta e cinco assassinatos, sem a menor distinção entre pecadores inescrupulosos e bebês inocentes. Você materializou dois ursos pra matar um bando de crianças só porque elas estavam zoando um careca porra-louca. Qualquer país do mundo que ainda não admitisse pena de morte em suas sentenças entraria em votação e conseguiria unanimidade popular para construir uma cadeira elétrica especial, alimentada a luz solar de dia e energia elétrica à noite, só para ver você torrando 24 horas por dia na principal praça da capital. Meu, e ninguém aqui está contando os mortos do dilúvio – um planeta inteiro habitado –, os de Sodoma ou daqueles massacres que você deixou sem evidências quando se esqueceu de contabilizá-los no seu diário doentio. Ocultação de cadáver também é um dos seus crimes prediletos, não dá pra ter a menor noção de quantas pessoas você realmente matou.


Deixando de lado sua tara patológica por sangue, você pode ser condenado por plágio por cópias como o dilúvio terrestre ou engravidar uma virgem, o que, por sua vez, foi canalhice da sua parte, por fazer uma mulher inocente cometer adultério. Ah, você não vê isso como adultério? Pois bem. Jesus nasceu descabaçando a própria mãe no parto e logo nos primeiros milagres já se mostrou tão plagiário quanto o pai, tornando água em vinho e aprontando peripécias no mar, like a greek god. Em todo caso, eu não quero falar de Jesus, afinal desde quando ele nasceu você tem um álibi perfeito: “Ah, mas nesse dia aí eu estava em Jerusalém”, você diz, o investigador vai lá conferir e todo mundo viu Jesus naquela Páscoa. Como ele é sua cara – e sua pessoa – a polícia fica sem provas.


Voltando um pouco ao antigo testamento um dos seus primeiros crimes (depois de existir) foi o de agressão infantil seguido de abandono de incapaz. Você joga seus dois primeiros filhos em um mundo criado a menos de uma semana, os perturba psicologicamente incutindo curiosidade a respeito do fruto proibido, os castiga duramente logo em sua primeira traquinagem – o que seria equivalente a bater em um recém-nascido por morder o seio na primeira mamada – e os expulsa de casa, abandonados à própria sorte com menos de um mês de vida, condenando o homem ao trabalho e a mulher à submissão e às dores do parto, crueldade que, sinceramente, eu nem sei em que lei se enquadraria. Você os orientou à reprodução sem criar mais um casal sequer, condenando os filhos de Adão e Eva ao incesto. E quando o mundo já está bastante povoado desses filhos incestuosos, você olha e pensa, “Credo! Esses humanos são uns pervertidos!”, e decide afogar todo mundo, salvando apenas um homem decente e justo, Noé, e sua família.


Acontece que um dos primeiros atos de Noé ao pisar em solo seco novamente é condenar todos os descendentes de um de seus filhos à escravidão em favor dos descendentes dos seus outros filhos. Futuramente a igreja católica usaria o argumento de que os negros eram descendentes de Cam, o filho que viu o pai bêbado pelado, para justificar sua escravidão. Quem cala consente. Você demorou tempo demais para colocar um pouco de racionalidade na cabecinha dos cristãos: depois de alguns tratados e muitos anos de navios negreiros e senzalas, a igreja que precisasse de escravos não poderia mais compra-los, teria de convertê-los e convencê-los a trabalhar para ela, em uma pequena parte dos casos sem o uso de tortura.


Depois de matar geral da Terra, você ainda teve ânimo para muitos e muitos massacres, mesmo tendo prometido que jamais faria isso novamente: o arco-íris estava lá para nos lembrar dessa promessa, não é? Aliás, acho que você só prometeu isso ao seu povo escolhido, sua gangue particular de malfeitores, que quando não estava sendo escravizada pelos povos mais evoluídos, estava matando, pilhando, sequestrando e cometendo toda sorte de abusos em seu nome. Dois milênios depois, você os esquece, e seu abandono afetivo faz com que milhões de judeus morram nos campos de concentração nazistas.


Javé Carrasco da Humanidade, foi esse o nome que o padrinho lhe deu? Deveria ser. Cai como uma luva. Você foi o ator, o mandante ou o cúmplice de todos os crimes descritos na Bíblia Sagrada e é o motivador, através da religião, de pelo menos metade de todos os crimes cometidos no mundo atual. E considerando que você é onisciente em relação a passado, presente e futuro, todos os seus crimes foram premeditados! Não vou nem citar a idade média, porque a demência da época era coletiva: os padres diziam que você deixava o Diabo agir através das bruxas para que Sua bondade fosse mais valorizada, nas raras vezes em que era vista. Aqueles padres eram mais doentes do que você no Antigo Testamento. Não vou culpa-lo pelas fogueiras e forcas, mas a suprema corte não deixaria isso passar em branco, principalmente se o promotor fosse ateu.


Se você fosse julgado por todos os crimes “menores” que cometeu ou incitou, seria condenado a setecentas prisões perpétuas, uma atrás da outra. Se fosse julgado pelos assassinatos, no Brasil, pegaria 30 anos de prisão, mas se ficasse de boa na cadeia por uns cinco ou seis anos, acabaria conseguindo liberdade condicional ou prisão domiciliar. Por falar nisso, onde você mora, hein? Enfim... Se seus assassinatos fossem julgados em um país como os Estados Unidos, eles criariam a “pena de morte perpétua”: você seria morto ao fim da tarde, ressuscitaria durante a noite e teria o dia seguinte inteiro para sentir a agonia de saber que morreria de novo ao entardecer e que isso aconteceria todos os dias, até o fim dos tempos. Isso se o homem que condenassem fosse a sua terça parte corpórea: se fosse sua parte onipotente eles o prenderiam àquela cadeira elétrica especial de sofrimento contínuo e se fosse o Espírito Santo, chamariam o controle de pragas.

 
O julgamento de Deus - http://bit.ly/QcmT
 

Como diria aquele árbitro, apitando o penalti: "é nosso, é nosso!"

Meu amigo Neuton Pires mostra-se escandalizado (veja aqui) com o fato de Alexandre Cury - que tem um caminhão de problemas legais - ter anunciado seu apoio para Zé Paulo, que será eleito prefeito no próximo dia 7, sem nenhuma dúvida. 

Esclareço, de plano, que não tenho nenhuma simpatia pelo jovem e sestroso herdeiro dos esquemas de Aníbal Cury, mas que o "espanto" de Neuton é muito seletivo, ah, isso é. 

Ocorre que Munira Peluso, a candidata de Neuton, também tem uma carreta tão carregada de problemas legais que não passaria sem multa numa balança da BR-277, como este modesto e ansioso blogueiro tem repetidamente demonstrado

Que fique sempre muito claro: Zé Paulo, meu candidato e futuro prefeito, ao contrário, não responde a nenhum inquérito policial e/ou processo criminal e não está na faina eleitoral e política suspenso pelos cordões de inúmeras e precárias liminares.

E por falar em apoios, lembrei-me que Reginaldo Gouvea, aqui, anunciou todo pimpão o discurso do delegado e deputado Francisquini apoiando a Munira. 

Acontece que este senhor também tem lá seus problemas, conforme informou Paulo Henrique Amorim, no seu indispensável Conversa Afiada.

Duvidam? Vejam aqui.   

São Odin das Cervejas e São Osmogäard do Peixe Defumado, rogai por nós!

O Serviço de Alto Falantes Ornitorrinco, cujo proprietário tem vivo interesse nas festas noturnas em Valhalla (embora Sonia não permita, é claro), ao cumprimentar os presentes nesta formidável quermesse em louvor de São Odin das Cervejas e São Osmogäard do Peixe Defumado, roga aos cristãos em geral que nos expliquem, se puderem, as razões pelas quais a pataquada bíblica deve ser respeitada e tida como sagrada e esta pataquada nórdica não?
 ----------xxxxxxxxx----------
 Copiei de Mitologia Nórdica
 

O Início dos Tempos

O gelo de Niflheim, ao norte e o fogo de Muspelheim, ao sul encontram-se ao centro, no grande abismo chamado Ginnungagap. Desta fusão, nasce a vida na forma de dois seres: o gigante de gelo Ymir e a vaca Audumla. Com o seu leite, Audumla alimenta o gigante Ymir, enquanto ela própria nutre-se lambendo o gelo, do qual retira água e sal. Aos poucos, no lugar onde ela lambe, vai surgindo um homem, um deus: seu nome é Buri. Buri engendra Bor que, por sua vez, engendra três deuses: Odin, Vili e Ve . Esta trindade mata, então, o gigante Ymir e do seu corpo, eles criam nove mundos.

Na concepção nórdica, o universo é uma estrutura em três níveis. No primeiro nível situa-se Asgard, o reino dos deuses guerreiros Aesir. Em Asgard, cada deus tem o seu próprio palácio. Lá encontra-se também Valhalla, o grande palácio dos guerreiros mortos em combate que para lá são levados pelas Valquírias, comandadas por Brünnhilde. Esses guerreiros são chamados Einherjar e são escolhidos por Odin entre os mais bravos para formar o seu exército na grande batalha que terá lugar com o advento do Ragnarok, o Crepúsculo dos Deuses, o final dos tempos. Enquanto esperam por tal evento, os Einherjar passam os dias em justas entre si e, à noite, eles se recompõem e banqueteiam-se em Valhalla, presididos pelo próprio Odin. Neste primeiro nível, estão também situados Vanaheim, o reino dos deuses da fertilidade, chamados Vanir, e Alfheim, a terra dos Elfos Luminosos.


No segundo nível fica Midgard, o Mundo do Meio, onde os homens habitam. Neste nível fica também Jotunheim, a terra dos gigantes, cuja cidadela é Utgard. Ao norte e ao sul de Midgard ficam respectivamente Nidavellir, terra dos anões e Svartalfheim, onde habitam os Elfos Escuros.


No terceiro nível fica Niflheim, o mundo dos mortos, cuja cidadela é Hel.


Para Valhalla só vão os heróis mortos em batalha. Qualquer outra pessoa quando morre vai para Niflheim. Os maus vão direto para Hel, guardada por uma monstruosa entidade feminina, metade branca, metade negra, que também se chama Hel.


Midgard é circundada por um oceano. Neste oceano fica a gigantesca serpente Jormungand que circunda toda Midgard e forma um círculo mordendo a própria cauda.


Ligando Midgard e Asgard encontramos Bifröst, a Ponde do Arco-iris, que é permanentemente guardada pelo deus Heimdall.


Servindo de eixo entre os três níveis, Asgard, Midgard e Niflheim, está uma grande árvore (um freixo) chamada Yggdrasill. Yggdrasill tem três raizes: uma mergulha em Asgard - junto a esta raiz fica o Poço de Urd, guardado pelas três Nornas, que são as deusas do Destino; a segunda raiz mergulha em Jotunheim - junto a esta raiz fica a Fonte de Mimir, cujas águas proporcionam sabedoria a quem delas bebe; a terceira raiz mergulha em Niflheim - junto a esta raiz fica a Fonte de Hvergelmir que dá origem a onze rios.


Yggdrasill é habitada por vários animais. Em sua copa vive uma águia que tem um falcão pousado entre os seus olhos. Sob seus galhos, cabritos e veados comem dos seus brotos. A raiz que mergulha em Niflheim é roída pelo dragão Nidhogg. Ao longo desta raiz, o esquilo Ratatosk corre para cima e para baixo, levando insultos do dragão Nidhogg para a águia que vive no topo. A razão dos insultos é porque quando o dragão que vive a roer a raiz começa a prejudicar Yggdrasil, a águia voa até ele e ataca-o ferozmente; enquanto Nidhogg fica a lamber as feridas para sará-las, Yggdrasill se recupera e o ciclo recomeça.

Sam Harris: "Se Deus existe, ele é o mais prolífico de todos os praticantes de abortos"

Copiei a imagem de Direitos Para Quem
(via Ralf Rickli)
 

"Enquanto o aborto continua sendo uma questão ridiculamente polêmica nos Estados Unidos, a posição "moral" da Igreja neste assunto está hoje plenamente - e horrivelmente - encarnada em El Salvador. Nesse país, o aborto é hoje ilegal sob quaisquer circunstâncias. Não há exceções para o estupro ou o incesto. No momento em que uma mulher chega a um hospital com o útero perfurado, indicando que fez um aborto caseiro em algum beco, ela é algemada à cama do hospital e seu corpo é tratado como uma cena de crime. Médicos forenses chegam para examinar seu útero. Há mulheres hoje cumprindo penas de trinta anos de prisão pelo crime de interromper sua gravidez. Imagine tal cenário em um país que também estigmatiza o uso de anticoncepcionais e os vê como um pecado contra Deus. E, contudo, é exatamente esse tipo de política que adotaríamos se concordássemos com madre Teresa em sua avaliação do sofrimento humano. De fato, o arcebispo de San Salvador fez uma campanha ativa neste sentido. Ele foi auxiliado em seus esforços pelo papa João Paulo II, que declarou, em uma visita à Cidade do México em 1999, que "a Igreja precisa proclamar o evangelho da vida, e falar com força profética contra a cultura da morte. Possa o continente da esperança ser também o continente da vida!".
É claro que a posição da Igreja a respeito do aborto não leva em conta os detalhes da biologia, assim como não leva em conta a realidade do sofrimento humano. Já foi estimado que 50% de todas as concepções humanas terminam em aborto espontâneo, em geral sem que a mulher sequer perceba que estava grávida. Na verdade, 20% de todos os casos de gravidez reconhecidos terminam em aborto espontâneo. Existe aqui uma verdade óbvia e gritante: se Deus existe, ele é o mais prolífico de todos os praticantes de abortos."
(Sam Harris, Carta a Uma Nação Cristã, Cia de Letras, 2008)

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Use sempre camisinha e protetor auricular e previna-se de um monte de porcarias

Copiei as imagens da net
Texto obrado a partir deste vídeo
 
 Camisinha, apesar do que diz a santa madre hipócrita e genocida igreja católica, é ótima para previnir e evitar DST/AIDS e gravidez indesejada, meninos e meninas.


Agora, para prevenir e evitar que você seja infectado por porcarias religiosas, use protetor auricular, é tiro e queda. Para aquelas igrejas mais barulhentas, use os dois ao mesmo tempo!

 
 
 

David Gilmour, um dos maiores guitarristas de todos os tempos

Copiei a imagem de NASP
 
Esse cara, para quem não sabe, é um dos maiores guitarristas de todos os tempos. Ouçam, pois.
Fearless
 
Obscured by Clouds/When you're in


Encontros Improváveis: Alceu Valença & Yes

Sol e Chuva
Leave It


Sou usuário, admito, e preciso de ajuda

Horror! E o governo não faz nada!
Depoimento de usuário

Encontros Improváveis: Milton Nascimento & Aphrodite's Child

San Vicente

Break

Encontros Improváveis: Dolores Duran & Jethro Tull

A Noite do Meu Bem

Songs From The Wood

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Encontros Improváveis: Carlos Paredes & Bono Vox

Danças Portuguesas nº 1

I'm The Walrus

Encontros Improváveis: Roberto Carlos & AC/DC

Detalhes

The Jack

Encontros Improváveis: Gal Costa & Peter Gabriel

Vaca Profana

Sledgehammer

Encontros Improváveis: Jair Rodrigues & Led Zeppelin

Disparada

D'yer Mak'er

Encontros Improváveis: Waldir Azevedo & Focus

Brasileirinho

Hocus Pocus

Encontros Improváveis: Nhô Belarmino & Nhá Gabriela e Beck, Bogert & Appice

As Mocinhas da Cidade

Black Cat Moan

Enquanto isso, naquele comitê eleitoral...

Copiei a imagem de Curvas de Minas

  

PARE!
Para a esquerda nunca fomos. 
Da direita nunca saímos.
Para cima fomos só no começo.
 Isso, isso, nosso rumo é para baixo!
Estamos em ascensão negativa!
Buraco, aqui me tens de regresso!

Elis Regina & Joe Bonamassa

Carinhoso

The Ballad of John Henry

 



A monumental burrice do Ornitorrinco

Encontrei hoje, no Diário Gauche, a frase que me define sem nenhuma sombra de dúvida.

"O cara aspira a ser burro, mas não consegue. Ele se projeta para a burrice, mas esta o rejeita. Falta-lhe habilitação para asno. Ele chegou no prefácio do curso da asnice, e foi rejeitado. Compreendemos e nos apiedamos dele."

Encontros Improváveis: Sérgio Sampaio & John Lennon

Meu pobre blues

 I Don't Want to Be a Soldier
 


terça-feira, 25 de setembro de 2012

Gregorian Masters: Stairway To Heaven

O Ornitorrinco gostou. É diferente.

Marco Feliciano, notório deputadão apatifado, pastor LGBTT-fóbico e insuperável filho da puta, mais uma vez ofende meu filho, de modo que tenho o dever de exigir a cassação de seu mandato

 Abaixo-assinado pede cassação do deputado Marco Feliciano, que disse que "a AIDS é câncer gay"

Abaixo-assinado pede cassação do deputado Marcos Feliciano, que disse que "a AIDS é câncer gay"
Na semana passada, a declaração do deputado federal e pastor Marco Feliciano causou polêmica aqui no A CapaO pastor disse que "a AIDS é um câncer gay".
Após o discurso do deputado do PSC de São Paulo, que foi feito durante o congresso dos Gideões Missionários e divulgado pelo também deputado Jean Wyllys, um abaixo assinado pede a cassação de Marco Feliciano. A petição se dirige a Comissão dos Direitos Humanos da Câmara dos Deputados.
Para quem não se lembra, o deputado foi o mesmo que disse que estaríamos armando uma "ditadura gay" no País, que gostaríamos de expulsar Deus do Brasil e propôs ajudar a promover uma audiência pública sobre a "cura" da homossexualidade.
Confira o que diz o texto do documento.
"Segundo o discurso do parlamentar e também pastor, os homossexuais e os usuários de drogas seriam os responsáveis pela disseminação do vírus da AIDS. Em sua conta no Twitter, Feliciano também culpou a 'sexualidade libertina' pelo aumento dos casos da doença.
Por concluir que manifestações como essas se enquadram como racismo, segregação racial, falta de respeito aos direitos humanos, homofobia e são de caráter separatista frente a população, sendo assim, nós, membros da sociedade civil, exigimos a cassação do mandato do parlamentar em questão, bem como as sanções legais cabíveis por crime de racismo e homofobia e quebra de decoro parlamentar".
Para fazer valer sua opinião e participar do abaixo-assinado, clique AQUI.

Mário Quintana: A criação da xoxota

Copiei de Luiz Nassif

Sete bons homens de fino saber
Criaram a xoxota, como pode se ver:
Chegando na frente, veio um açougueiro
Com faca afiada deu talho certeiro. 
Um bom marceneiro, com dedicação
Fez furo no centro com malho e formão.
Em terceiro o alfaiate, capaz e moderno
Forrou com veludo o lado interno.
Um bom caçador, chegando na hora
Forrou com raposa, a parte de fora.
Em quinto chegou, sagaz pescador
Esfregando um peixe, deu-lhe o odor. 
Em sexto, o bom padre da igreja daqui.
Benzeu-a dizendo: “É só pra xixi!”
Por fim o marujo, zarolho e perneta
Chupou-a, fodeu-a e chamou-a
Buceta!

Em 2014, não duvidem e não fiquem surpresos se os Altos Ofinoses do petismo 'mudernoso' inventarem Gleisi Hoffmann na vice de Beto Richa

Quando a gente pensa que o petismo gosmentamente pragmático e que faz xixi somente na caixinha de areia podia ter limites, bem, temos a Primeira Lei de Murphy: se há uma chancezinha de uma porra qualquer dar errado e transformar-se em merda, é inevitável, a porra qualquer dará errado e transformar-se-á em merda fedorenta.
Na parede da memória, etc.
 

Cristãos e muçulmanos: todos estão certos!

Copiei de Sou Ateu Brasil

Cristãos proclamam que a doutrina muçulmana é falsa.

Muçulmanos proclamam que a doutrina cristã é falsa.

Ateus acreditam que cristãos e muçulmanos estão evidentemente certos.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Renato Teixeira: O Violeiro Toca

Essa vai pro Crazy Polska antes que ele reclame 
que eu só mostro rock'n'roll

Adoro o conservadorismo paulistano. É tão kitsch!

Copiei do Blog do Sakamoto

Pesquisa Datafolha divulgada, neste domingo (23), pelo jornal Folha de S. Paulo traz o posicionamento do paulistano diante de temas comportamentais. Com isso, busca checar a tese da relação entre o posicionamento frente a esses assuntos e a preferência do voto. Foram ouvidas 1.802 pessoas e a margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.
Breves comentários sobre os resultados:
Causas da criminalidade: 60% dos entrevistados dizem que a maior causa é a maldade das pessoas.
Depois perguntam a razão de Carminha e Nina fazer tanto sucesso.
Adolescentes: 72% dizem que os que cometem crimes devem ser punidos como adultos.
Criança bandida tem que pagar. Menos se forem meus filhos. Nesse caso, uma boa conversa resolve.
Religião: 79% dizem que acreditar em Deus as torna pessoas melhores.
OK, isso pode ajudar, mas não determina. Hitler acreditava no divino. Chaplin era ateu… Parte considerável das fazendas onde há libertações de escravos contemporâneos no Brasil tem nome de divindades cristãs: Nossa Senhora, Menino Jesus, Santo Expedido…
Sindicato: 60% afirmam que servem mais para fazer política do que defender os trabalhadores.
Detesta política sindical. Mas gasta muito bem o dissídio que surgir no salário… 
Proibição do uso de drogas: 81% afirma que deve ser mantida porque toda a sociedade sofre com as consequências.
E para discutirmos, desce mais uma cerveja que não causa mal a ninguém. Se fizesse, não teria propaganda bacana na TV.
Em outras perguntas, o comportamento conservador foi minoria nas respostas. Mas vale uma observação: mesmo minoria, a quantidade assusta.
Pena de morte: 41% dizem que é a melhor punição para indivíduos que cometem crimes graves.
Olho por olho, dente por dente. Porque, como sabemos, a vingança traz de volta o ser amado do mundo dos mortos e diminui a criminalidade…
Migração: 28% dos pobres que migram acabam criando problemas para a cidade.
Eles deveriam construir nossos prédios calados, agradecendo o favor que fizemos a eles, e se retirarem para o lugar de onde vieram assim que terminassem o serviço. E não ficar zanzando por aí, ofendendo meu senso estético. Afinal, a cidade é nossa, não deles. Pagamos por ela.
Pobreza: 27% acha que está ligada à preguiça de pessoas que não queiram trabalhar.
Mesmo com longas jornadas e condições bisonhas de trabalho, o Brasil paga mal as empregadas domésticas porque elas são umas indolentes de uma figa.
Homossexualismo (sic – foi o Datafolha que usou a expressão, não eu): 23% acham que deve ser desencorajado pela sociedade.
Vamos desencorajar a heterossexualidade também, ué!  Filhão, você só trouxe infelicidade para esta casa! Onde já se viu? Namorar uma, uma, uma… mulher?! O que nós fizemos de errado, meu Deus?
Posse de armas: 22% dizem que armas legalizadas deveriam ser um direito do cidadão para se defender.
Sim. Então, o IML passa a ser desautorizado de ir buscar os corpos de quem foi morto com a própria arma tomada pelo bandido?
Tendo achar que se houvesse uma pergunta sobre “trabalho infantil”, o apoio a ele seria grande também. E sobre “prostituição infantil”, haveria uma minoria que martelaria a questão da liberdade individual, seguindo os argumentos do nobre vereador Agnaldo Timóteo.
Dizem que falta informação e, por isso, temos uma sociedade que pensa de forma tão conservadora. Mas informação não basta. Deve-se saber como trabalhar com essa informação que recebemos, refletir sobre ela. Entramos aqui na questão da consciência social, que não se aprende nos bancos de escola, mas no trato com a sociedade.
O contato com o “outro”, e com suas diferenças, contribui para fomentar essa consciência. Não através do filtro dos jornais e das lentes de TVs, mas pelo diálogo direto. Só dessa forma poderemos entender as razões desse outro. E se, mesmo assim, não concordarmos com sua posição, podemos, ao menos, ser tolerantes. E perceber que as pessoas têm direito à própria vida e ao próprio corpo e que não é com uma sociedade ditatorial e sumária que se resolverão os problemas.
(Esse movimento sofre uma inflexão no período eleitoral, é claro. Após a campanha de 2010, por exemplo, diminuiu o número de pessoas que apoiavam o direito ao aborto. O que era esperado uma vez que os candidatos transformaram o pleito em guerra religiosa).
De qualquer forma, ainda bem que as decisões do Supremo Tribunal Federal sobre a interpretação da Constituição visando à garantia de direitos não têm sido tomadas com base em pesquisas de opinião ou usando uma biruta que aponte para onde sopra a opinião pública em determinado momento. Por isso, temos tido alguns avanços, como pesquisas com células tronco, direito a protestar pela legalização das drogas, união civil homoafetiva…
Afinal de contas, uma democracia verdadeira passa por seguir as decisões da maioria, desde que se respeite a dignidade das minorias. É tão fácil e tão difícil entender isso…

A vaca coxa-branca está às portas dos quintos, meus amigos

 
Imagem surrupiada do Urublues
 Em primeiro plano, integrantes da defesa coxa-branca, a mais vazada da série A.

A coisa 'tá feia pros lados do Coritiba, amigos internautos, amigas internautas.

A possibilidade de queda é real e parece que o time agora deu pra isso: um ano na segundona, dois na série A, e assim segue a vaca  mugindo e sempre beirando o brejo ou, melhor dizendo, batendo nas portas dos quintos.

O pior é que não tenho o talento que Jeff Urublues Picanço, atleticano inspirado, demonstra cada vez que comenta a saga do seu time na segundona (veja exemplos aquiaqui e aqui).

Fica a proposta, portanto: Jeff, se o coxa cair, gostaria que você comentasse a nossa saga nos quintos da segundona, falando de Dante e cousa e tal.

Bote preço, pois, meu camarada!

Vaticano quer aliança com muçulmanos contra secularismo

Copiei de Paulopes
Tauran: "É nosso dever passar
 os valores morais aos jovens"
O cardeal Jean-Louis Tauran (foto), presidente do Conselho para o Diálogo Inter-religioso, do Vaticano, enviou carta a líderes muçulmanos propondo uma aliança para enfrentar “os desafios do materialismo e da secularização”.

“Trata-se de uma realidade que cristãos e muçulmanos consideram ser de primordial importância”, escreveu o cardeal. “[...] Deus nos guia no nosso caminho!”


A carta foi enviada recentemente, ao final do Ramadan, que é um ritual de jejum dos muçulmano. Nela, Tauran escreveu que é “nosso dever” ajudar os jovens na descoberta dos valores “humanos e morais” e saber diferenciar  “o bem e o mal”.


O “mal” no caso, conforme o cardeal deixa subentendido, é o secularismo, que, segundo ele, ameaça as atividades religiosas.


“Não podemos deixar de denunciar todas as formas de fanatismo e intimidação, os preconceitos e as polêmicas, bem como a discriminação de que, às vezes, os crentes são o objeto, tanto na vida social e política, bem como nos meios de comunicação de massa”, acrescentou.


A carta surpreende por dois motivos. Primeiro: Igreja Católica e Islã são rivais há pelo menos 13 séculos e a disputa de influência entre as duas religiões tem se acirrado nos últimos anos. Segundo: no ano passado, o Vaticano abriu um canal de diálogo com ateus e secularistas para que haja uma convivência pacífica.

Com informação do TwoCircles.net
----------xxxxxxxxxx----------

O Serviço de Alto Falantes Ornitorrinco, ao cumprimentar os presentes nesta grandiosa e tétrica quermesse em louvor de São Torquemada dos Autos de Fé e de São Maomé da Lapidação das Adúlteras, pede licença para explicar que secularismo siginifica: 1 Regime secular ou laical. 2 Espírito ou tendência secular. 3 Sistema ético que rejeita toda fôrma de fé e devoção religiosas e aceita como diretrizes apenas os fatos e influências derivados da vida presente; laicismo. 4 Doutrina segundo a qual devem ser excluídos da educação pública e de outros assuntos estatais elementos religiosos.