SOBRE O BLOGUEIRO

Minha foto
Antonina, Litoral do Paraná, Palestine
Petroleiro aposentado e petista no exílio, usuário dos óculos de pangloss, da gloriosa pomada belladona, da emulsão scott e das pílulas do doutor ross, considero o suflê de chuchu apenas vã tentativa de assar o ar e, erguido em retumbante sucesso físico, descobri que uma batata distraída não passa de um tubérculo desatento. Entre sinos bimbalhantes, pássaros pipilantes, vereadores esotéricos, profetas do passado e áulicos feitos na china, persigo o consenso alegórico e meus dias escorrem em relativo sossego. Comendo minhas goiabinhas regulamentares, busco a tranqüilidade siamesa e quero ser presidente por um dia para assim entender as aflições das camadas menos favorecidas pelas propinas democráticas.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Eduardo Campos, à frente do seu séquito de anjos, virgens sustentáveis e socialistas-de-inopino

Copiei a imagem daqui
Dudu Camprilles, à frente do seu séquito de anjos, virgens sustentáveis e socialistas-de-inopino que vivem em Santa Catarina, garante que fará mais, melhor, para cima, eia, sus! e merdas assemelhadas. Há quem acredite, é claro.

Copiei a imagem daqui

Coral de meninos sustentáveis canta para enlevo de Marina Silva que é, em verdade, candidata a santa evangélica.
Na primeira fila, na extrema direita, 
é claro, o netinho querido de Jorge Bornhausen.

Copiei a imagem daqui
 
Jorge Bornhausen,
o sustentável.

Escândalo nacional! Horror! As primeiras fotos de blogueiros sujos pagos pelo PT!

Copiei a imagem daqui
 
Três dos mais terríveis petralhas da blogosfera, fotografados durante treinamento na Coréia do Norte. A partir da esquerda, os irmãos gêmeos Xaulo Moberto, Baulo Voberto
e Daulo Loberto Mequinel.

Copiei a imagem daqui
Eduardo Guimarães, malvado blogueiro paulista, com seu assistente Çaulo Poberto Tequinel, prepara tiro de misericórdia
na candidatura de Aécim Aspirator Neves.
Copiei imagem daqui
 
A partir da esquerda, as irmãs Emengarda, Florisvarda, Esmerarda e Espingarda e as primas Anísia, Elísia e Maria, de tradicional família petista, durante treinamento em Cuba. Elas defenderão o fim da família cristã e dos valores evangélicos, a soldo do petismo búlgaro, abortista, gayzista e esotérico.

Exclusivo! Fotos impressionantes da campanha de Dudu Camprilles e de Santa Marina Esverdeada

Copiei a imagem daqui
 
Dudu Camprilles, preocupado com seus minguados índices nas pesquisas, ouviu seus marqueteiros e resolveu radicalizar. Agora vai, dizem Merval e Jabor, em extase gozoso.

Copiei a imagem daqui
Marineiro mais exaltado explica o significado de sustentabilidade e da nova política de Santa Marina Esverdeada.

Copiei a imagem daqui
 
Santa Marina Esverdeada e Dudu Camprilles apresentam seu mais novo aliado, Jorge Bornhausen, socialista barriga-verde, 
e adepto da nova política.

Exclusivo: Como não pagar IPVA!

Via Rosangela Basso

COMO NÃO PAGAR IPVA
por Vladimir Safatle

Todos os anos você precisa pagar o IPVA do seu carro. Como o nome diz, trata-se de um Imposto de Propriedade sobre Veículos Automotores. Bem, um veículo automotor é, pasmem vocês, "aquele dotado de motor próprio".
Por exemplo, um carro de boi não pagará IPVA por não ter motor próprio: o motor é o boi, a saber, uma entidade ontologicamente a parte do aparato técnico de motricidade desenvolvido pelo saber humano. A bicicleta não pagará o imposto pela mesma razão, assim como o helicóptero do banqueiro, o jato particular do escroque e o iate do Naji Nahas.
"Assim como o helicóptero, o jato particular e o iate"? Sim. Você poderá procurar todos os meandros do saber jurídico, encontrar explicações surreais, como aquela que afirma que o atual IPVA substituiu a antiga TRU (Taxa Rodoviária Única), logo os veículos automotores que pagarão impostos são apenas aqueles colados no chão.
No entanto, a verdade é uma só: helicópteros, jatos particulares e iates não pagam IPVA porque, no Brasil, os ricos definem as leis que protegerão seus rendimentos e desejos de ostentação. Bem-vindo àquilo que economistas como o francês Thomas Piketty chamam de "capitalismo patrimonial": um capitalismo construído para quem ganha mais continuar a ganhar mais, a não precisar devolver nada para a sociedade, enquanto quem ganha menos é continuamente espoliado e recebe cada vez menos serviços do Estado.
Se os 20 mil jatos particulares e os 2.000 helicópteros que voam livremente no Brasil pagassem IPVA, teríamos algo em torno de mais R$ 8 bilhões. Esse valor é o equivalente a, por exemplo, dois orçamentos da USP. Ou seja, se aqueles que têm mais capacidade de contribuição simplesmente pagassem para ter seu singelo helicóptero o mesmo que você paga para ter seu carro, poderíamos financiar mais duas universidades com 90 mil alunos estudando gratuitamente.
Esse é apenas um dentro vários exemplos de como o Brasil se organizou para ser um país onde ser rico é um ótimo negócio. Um país que, só em 2014, deverá ter mais 17 mil milionários e nenhum deles pagando aquilo que você paga. Porque, aqui, quanto mais você sobe (de preferência de jato ou helicóptero), mais você é protegido. Isso pode parecer uma explicação primária, mas muitas vezes o óbvio é o que há de mais difícil a enxergar.
Como disse, não um esquerdista de centro acadêmico, mas o megainvestidor norte-americano Warren Buffett: "Quem disse que não há luta de classe? Claro que há, e nós estamos vencendo".
Copiei a imagem daqui
 
Veículo exclusivo do Royal Gabinete Presidencial da 
The Fucking Ornitorrinco Corporation

sábado, 19 de abril de 2014

Beth Hart : Am I The One

Fazia tempo que uma cantora não me pegava desse jeito. Descobri Beth aprontando com Joe Bonamassa e estou aqui sem folego. Gosto quando se lança no espaço e parece que não flutuará, do ir-se ao limite da voz: porra, ela canta muito! 

The Fucking Ornitorrinco Corporation - Nota Oficial


The Fucking Ornitorrinco Corporation

Royal Gabinete Presidencial
Nota Oficial

Nosso Royal'n'Forever President, no jatinho do doleiro que cuida 
"daquelas transações" para nossa Organização 

Depois de período sabático - expressão muito chique para definir preguiça - as atividades deste fétido, insalubre e pouco recomendável blog estão retomadas, de modo que devemos dizer em alto e bom som: borrem-se nas calças, inimigos, credores, gerentes de banco, pastores e padrecos picaretas, viuvinhas tucanas sem porvir, marineiros e marinados, direitosos em geral, bucéfalos, sacripantas, canalhas imensuráveis e, por óbvio, preconceituosos em geral, muito especialmente os LGBTT-fóbicos de diferentes origens!

Nosso Royal and Forever President, Xaulo Moberto Pequinel, O Rosnento, já devidamente instalado em seu novo, suntuoso, superfaturado e nababesco apartamento no Capão Raso Soho, near Popular Shopping, adquiriu caneleiras e capacetes de última geração que o protegerão nos embates de praxe aqui na blogosfera.

Estejam, pois, completamente avisados.

Curitiba Brooklyn, 19/04/2014

Zaulo Hoberto Lequinel
Chefe do Royal Gabinete Presidencial
Guru and Sex-Symbol Senior  
  

sábado, 15 de março de 2014

A completa lindeza de Andrea Caldas

Copiei de Andrea Caldas

Respondendo aos Constantinos, hoje fui assaltada também. Saindo de uma banca de jornais, levaram a carteira e dois ingressos do show que iria assistir de Antonio Nóbrega. Fiquei assustada, me senti vulnerável. Mas, nada que me faça pedir a pena de morte para os meninos que levaram minha carteira. Sigo acreditando na educação, na cultura e na superação da desigualdade social como antídoto. Não justifico a criminalidade, mas ainda acredito que o caminho da humanização é melhor do que a barbárie, que a promoção da vida em sua plenitude é mais pródiga que a pena de morte e os quartos de despejo. E que não chegamos até aqui neste estágio da aventura humana para descobrir que estavam certos os circos de Roma, as fogueiras da Inquisição, os enforcamentos e linchamentos, a lei da selva.

O avião da Malásia e a oposição sumiram

Com efeito, o avião da Malásia sumiu e até agora ninguém consegue explicar porra nenhuma.
Já o sumiço de Aécio Aspirator Neves, Dudu Camprilles & Santa Marina Esverdeada e, não nos esqueçamos, de São Joaquim Batman Barbosa, tem não apenas explicações e/ou teorias, mas já um fato comprovado: o GPS deles todos só consegue localizar, de modo precário, a classe mérdia no meio do nevoeiro dos seus preconceitos boçais.
Senhores passageiros da classe mérdia, dirijam-se ao portão de embarque, enfiem o dedão no cuzão cagado e, de inopino, rasguem, seus bostas.
E boa viagem!

quinta-feira, 13 de março de 2014

Escrever chorando (maldição de Parkinson)

Compartilho em silêncio. 
Tudo já está dito.

Copiei de Francisco Costa

ESCREVER CHORANDO
(MALDIÇÃO DE PARKINSON)

Sabe, velha, fiz ontem a visita
Que vinha adiando sempre,
Em nome da mais absoluta covardia.
Você a custo me reconheceu,
E hoje é provável 
Que já não se lembre de mim.
Aquelas mãos miúdas e macias
Que passearam em minha fronte,
Delicadas, quentes, terapêuticas,
Perderam a coordenação motora
E tremem, se agitam, quase saltam
Alheias à sua vontade de que calmas.
Seus olhos se perderam, e alheios
Permanecem nas órbitas
Mas já orbitando o longínquo
Onde não sei nem imagino.
Conversa naturalmente e dócil
Com os nossos mortos e conosco
Sem atinar quem ainda na carne
E quem a espera, atento,
Talvez feliz do reencontro.
Sonhas sonhos absurdos, surreais,
Pedindo-me sabonete com ervilhas
Porque com desejos, grávida.
(dos seus tataranetos, minha mãe?)
Seu corpinho encolhe, diminui
E sua capacidade de influir
Já é nenhuma, fazendo-me órfão,
Indigente, sem o último ascendente
A me apontar caminhos e ver menino
Inexperiente colecionando bobagens.
Suas mãos e suas palavras ensinaram-me.
Foram elas que me mostraram tudo:
Como pegar um lápis ou um pincel,
Como folhear livros, como cerrar os punhos
Às injustiças, como gesticular não,
Mas agora... Agora estão inúteis, reduzidas
A simples apêndices que me tocaram o rosto,
Em gesto que jamais esperei, de despedida.
Mas mesmo quando aparentemente
Sem condições de me ensinar mais nada
Você me deu a derradeira lição:
Pode-se dizer na semana que vem eu volto
Quando se está dizendo adeus. Podemos
Sorrir, quando na verdade, disfarçadamente
Estamos chorando ao contrário, para dentro.
Avesso hoje a tudo o que partilhamos,
Inútil e só como um pássaro sem asas,
Faço a minha contagem regressiva
Para o silêncio escuro da orfandade.
Francisco Costa
Rio, 13/03/2014.