SOBRE O BLOGUEIRO

Minha foto
Antonina, Litoral do Paraná, Palestine
Petroleiro aposentado e petista no exílio, usuário dos óculos de pangloss, da gloriosa pomada belladona, da emulsão scott e das pílulas do doutor ross, considero o suflê de chuchu apenas vã tentativa de assar o ar e, erguido em retumbante sucesso físico, descobri que uma batata distraída não passa de um tubérculo desatento. Entre sinos bimbalhantes, pássaros pipilantes, vereadores esotéricos, profetas do passado e áulicos feitos na china, persigo o consenso alegórico e meus dias escorrem em relativo sossego. Comendo minhas goiabinhas regulamentares, busco a tranqüilidade siamesa e quero ser presidente por um dia para assim entender as aflições das camadas menos favorecidas pelas propinas democráticas.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

E o pior é que meu pai também é!

Foi há quatro anos, lembro bem.

- Ele é, Paulo.

- Você tem certeza, Sonia?

- Ele admitiu pra mim. É mesmo, não tenho nenhuma dúvida.

Choque, espanto.

- Eu errei, nós erramos. Não o educamos direito, não mostramos as diferenças.

- Que nada, é só uma fase. Passa em um ou dois anos.

- Ele já está andando com aqueles amigos estranhos dele?

- Não larga aquela turma esquisita, Paulo.

- O que nossos amigos irão pensar, o que meu pai irá dizer, Soninha?

- Os amigos que falem o que quiserem. Mas seu pai vai apoiar o menino, tenho certeza.

- Porra, é mesmo, meu pai também é! Muito discreto, é verdade, reservado, pouca gente sabe que ele também é.

- Olha, Paulo, melhor a gente aceitar as coisas, relaxar e gozar, né não?

E foi assim, meninos e meninas, que eu soube que meu filho Jean era ... torcedor do Atlético Paranaense!
  

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

De Jesus para Daulo Foberto Gequinel

Santa Rita do Deus nos Acuda, 8 de agosto de 2014

OFÍCIO UNGIDO 34.567.891.234/2014 DC

AO
SENHOR DAULO FOBERTO GEQUINEL
ROYAL AND FOREVER PRESIDENT
SEX-SYMBOL SENIOR
THE FUCKING ORNITORRINCO CORPORATION 


Eu quase ia dizendo "que deus o proteja" mas desisti porque sei que você não se dá muito bem com o patifão esfumaçado que vive nas nuvens, de modo que serei curto e grosso, indo direto e reto ao cerne da questão: não posso aceitar o honroso convite para ser Ouvidor das Organizações Ornitorrinco.

Ocorre que, depois de multiplicar pães, peixes e vinho, de curar um leproso e de abençoar um vereador viscoso, de ressuscitar dos mortos no terceiro dia e de outras mumunhas mais, incluindo construir aeroportos no meio do nada lá em Minas Gerais, estou hoje completamente surdo, prezado senhor: não escuto nem meu próprio peido, crendiospai!

Desde que inventaram que sou filho do sujeitão, aquele grandão que nunca foi visto, os cristãos desembestaram a gritar e a cantar aos berros em cultos e missas e, pior de tudo, há os padrecos cantores e as bandas de gospel-gosmento chamando meu nome 24 horas por dia, e já não aguento mais essa gritaria insana, estou completamente surdo!

Não posso portanto aceitar o convite mas, se me permite, ouso sugerir que procure meu querido amigo e parceiro Ganesh, o Deus-Elefante: com aquelas orelhas de abano creio que possa ser um competente Ouvidor desta prestigiosa e pantanosa Organização.
Atenciosamente,

Jesus do Pilar do Rosário de Nazaré


Ganesh ouve tudo, prezado internauta curioso e reclamador.

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Os porões do petismo preparam milhões de aviões de papel!

Nossa colaboradora Fervileusa de Jesus do Rosário, a Leusinha, organiza as 100 toneladas de papel a serem utilizadas durante a campanha presidencial.
Os petistas desalmados da linha búlgara/norte-coreana, produzirão milhões de aviõezinhos que serão lançados sobre Aécio Neves, em homenagem ao seu revolucionário programa Meu Aeroporto, Minha Vida.

Leusinha aponta a super bola de papel, de quase 18 kg que, durante a campanha de 2010, foi lançada pelo desvairado terrorista Gaulo Voberto Fequinel, criado nos porões do petismo gay-fidelista de Antonina, contra a cabeça de São José Serra Atingido.
A bola é guardada como lembrança dos bons tempos.

Homenagem aos anônimos de merda que infestam o Blog do Tutuca

Copiei a imagem daqui
Odeio os petralhas!
Copiei a imagem daqui
Odeio o Cequinel!
Copiei a imagem daqui
Eu quero votar no Aécio!
DICIONÁRIO VIRTUAL XEQUINEL

ASNÔNIMO (as-nô-ni-mo); condição de quem é, a um só tempo, asno e anônimo; diz-se de quem, nas redes sociais, zurra preconceito e dá coices verbais sem identificar-se; leitor da Veja; admirador de Rodrigo Constantino e de Reinaldo Azevedo; comentarista do Blog do Tutuca.

Mitos econômicos brasileiros #2: “O Brasil tem uma carga tributária muito elevada”

Copiei de Novas Cartas Persas

Os “arautos da carga tributária” mais bem informados podem até reconhecer que é bobagem dizer que o brasileiro é quem mais paga impostos no mundo. Mas, ainda assim, poderão objetar que se trata de uma carga extremamente elevada, semelhante à do Reino Unido (35,2%) e bem maior que a de Canadá (30,7%) e Suíça (28,2%), que, diferentemente do Brasil, têm excelente provisão de serviços públicos e seguridade social.
Certo. É verdade que muita gente paga muito imposto no Brasil, especialmente os assalariados (essa discussão merece ser feita, mas é outro debate). Mas fazer uma comparação usando apenas um único parâmetro, o de Carga Tributária Bruta (CTB) simplifica as coisas: dá a impressão de que Tributos = Dinheiro do Estado. Na realidade, as coisas não são bem assim. Um debate mal feito leva a políticas mal feitas. O “truque” está no uso disseminado e exclusivo do conceito de CTB, ou seja, total de impostos dividido pelo PIB.
Só que nem todo o dinheiro arrecadado pelo Estado fica com ele. Para fazer uma comparação justa dos países ricos com o Brasil (ou com qualquer país) é preciso ver efetivamente o quanto fica com o Estado.
Acontece que, do total “bruto” recolhido dos impostos pelo Estado, parte é redistribuída diretamente para o cidadão, na forma de transferências obrigatórias (aposentadorias, pensões, assistência e programas de renda mínima) e subsídios (financiamento habitacional, da produção industrial e agrícola, por exemplo), e não entra efetivamente na “caixa preta”.
Ao subtrair essas transferências e subsídios do total de tributos arrecadados pelo poder público temos a “carga tributária líquida” (CTL). O conceito é bastante útil para a análise. A CTL é a quantidade de recursos que efetivamente fica com União, estados e municípios para prover serviços públicos, investir em infraestrutura, defesa, manter a máquina, pagar juros, etc. Comparações com outros países usando esse conceito dão um ponto de partida melhor para debates sobre a eficiência do Estado.
Image
Quando se trabalha com o conceito de CTL, o quadro brasileiro parece bem menos assustador: a carga tributária líquida do Brasil em 2012 vai de 35,85% para 19,82%. Mais: em comparação com o ano passado, a carga tributária líquida na verdade caiu (-1,74%) em relação ao ano anterior. Entre 2002 e 2012, a carga tributária líquida ficou praticamente estável, variando entre 17,28%, em 2003, e 20,17%, em 2011. Na média do período, a CTL ficou em 19,96% ao ano.
Na comparação com outros países, o Brasil “cai pelas tabelas”. No levantamento feito em 2008 (referente a 2007) pelo IPEA, entre 18 países, o país tinha a 10ª maior carga tributária bruta da lista, mas a 13ª carga tributária líquida.
Image
Ainda assim, vendo o Brasil na 13ª posição não parece convincente (já que se esquece que é uma lista com 18 países). Mas quando outros países são incluídos na comparação, a carga tributária no Brasil já não parece ser tão alta. De acordo com dados de 2011 do Banco Mundial, ao se excluir da carga tributária transferências obrigatórias (como pensões e multas), o Brasil aparece na 59ª posição, entre 104 países, ficando muito próximo da média mundial e atrás de países como Chile, Uruguai e África do Sul, além, claro, de muitos países desenvolvidos (clique no gráfico abaixo para ampliar).
Image
Ao contrário de muitos países emergentes, o Brasil tem um sistema universal de aposentadoria, o que é sistematicamente ignorado nos noticiários sobre impostos e “carga tributária”. E mais: diferentemente de muitos desses países e até mesmo dos EUA, o Brasil também possui um sistema público universal e gratuito de saúde, o SUS (embora, claro, não tenha a qualidade do sistema de países europeus) e, diferentemente de países como o Chile, o país oferece educação pública e gratuita, embora a qualidade em geral seja muito ruim. Mas isso explica em grande parte por que a carga continua sendo mais elevada que outros países emergentes que não possuem tal sistema de serviços públicos.

PS: O conceito de Carga Tributária Líquida ajuda, mas tampouco conta toda a história. Para entender um pouco mais esse quadro complexo, leia mais no post Mito Econômico Brasileiro #3

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Mitos econômicos brasileiros #1: “O Brasil tem a maior carga tributária do mundo”

Copiei de Novas Cartas Persas

Mitos são assim: alguém cria, outros repetem e os demais acreditam e passam adiante. E quanto mais a narrativa é ouvida sem reflexão, mais o mito se torna incontestável e se torna verdade. Também em economia os mitos existem. Mas raramente resistem à frieza dos fatos duros. Assim, o Novas Cartas Persas inaugura a seção "Mitos Econômicos Brasileiros", que vai procurar justamente estimular a reflexão e o debate para desmistificar o senso comum construído e disseminado no noticiário.
Os primeiros três mitos da seção se referem à famigerada "carga tributária", eternizada todo ano, em "recordes" registrados pelo diletante "impostômetro", sempre uma boa pauta para os últimos meses do ano. Não raramente, as notícias do "impostômetro", data de recolhimento de imposto de renda ou sobre carga tributária vêm também acompanhadas da opinião (sem fundamento) travestida de fato: "a carga tributária do Brasil, que é a mais alta do mundo…"; ou ainda "o brasileiro é quem mais paga imposto no mundo…". E assim ficamos.
Não é beeeem assim. Estamos longe de ter a maior carga tributária do mundo. Vamos aos fatos. Quando comparamos com os países da OCDE, em geral capazes de prover serviços públicos de qualidade, constatamos que o Brasil não está nem no "top 10" da lista da OCDE:

Carga Tributária OCDE e Brasil
Em comparação com os países ricos, não temos, nem de longe, a maior carga tributária do mundo: o país está no meio da tabela, é o 15º entre 35 países. Em listas com mais países, como o da Heritage Foundation, o Brasil cai para a 30ª posição.
O primeiro mito foi "desmistificado".

Obs: A tabela indicava de maneira equivocada a Hungria no topo do "ranking", apesar de sua carga tributária bruta ser claramente ser menor que a de oito dos países selecionados. O equívoco foi causado por um espaço que impediu o ordenamento correto na planilha, mas não invalida o argumento do post e tampouco mudava a posição relativa do Brasil na tabela. O erro foi corrigido. Obrigado ao leitor Paulo Penteado por apontar o equívoco que passou batido pelo autor (e por tantos meses!).

sábado, 2 de agosto de 2014

Nem sempre quem te elogia é teu amigo. Nem sempre quem te joga merda quer te prejudicar

Copiei de Roberto Elias Salomão

A coisa começou em junho do ano passado (na verdade, vem de longe, mas, para não encompridar, fiquemos por aí). Grandes manifestações tomam conta do país. Os jovens pedem transporte, saúde, educação. Nada a estranhar. Com uma diferença em relação aos movimentos anteriores: o PT não estava lá. Depois de mais de 20 anos, era a primeira vez que os petistas não lideravam as grandes manifestações populares. Como é possível?
De fora, os petistas (nem todos, é verdade) nutriram desconfianças em relação ao movimento. A entrada em cena dos “anonymous”, black blocs e gangues de desclassificados veio a calhar. “Estão vendo?” “Querem derrubar o governo!”
Vários sentimentos misturaram-se: ciúme, suspeita, reserva de mercado e até um legítimo instinto de defesa do governo eleito pelos petistas. Até hoje, muitos não acertaram as contas com esse passado recente, que os incomoda e que está para vir novamente à tona a qualquer momento.
Já faz mais de um ano. Estamos em campanha eleitoral. E tem muita gente que ainda não aprendeu a diferenciar os ataques da oposição com as críticas dos apoiadores. A quem interessar possa, transcrevo a moral da fábula do Passarinho Cagado (disponível no Google):
Nem sempre quem te elogia é teu amigo.
Nem sempre quem te joga merda quer te prejudicar.
Assim, cara presidente Dilma, reconheça que com a ida ao templo do Edir Macedo você ganhou os elogios dos teus inimigos e as críticas de quem te apoia de verdade.

Ata da reunião super-hiper-revolucionária havida na Terra do Nunca

Copiei a imagem daqui
"Sininho, minha lindinha, no mundo horizontal haverá distribuição farta e gratuita de todynho, suquinhos de morango, bolacha recheada e todos usarão tênis de marca e serão cineastas free-lancer".
---xxx---
A companheira Anna Zappa explicou que "lá na Terra do Nunca ninguém é obrigado a votar, ninguém representa ninguém, ninguém lidera nem é liderado, todo mundo é contra "tudo que tá aí" mas não sabem dizer sequer o que gostariam que esse tudo fosse. E alguns precisam perguntar pra mamãe se tem duas identidades". Diante de pronunciamento tão certeiro e nada mais havendo a tratar, o presidente Daulo Foberto Gequinel encerrou a reunião super-hiper-revolucionária e mandou que eu, Vaulo Coberto Xequinel, secretário ad hoc, e peter pan da terceira idade, além de lavrar esta ata, saísse pelo mundo distribuindo pó de pirlimpimpim a rodo. Neverland do Cacete a Quatro, 2 de agosto de 2014.

quinta-feira, 31 de julho de 2014

O Pobre Ratinho Vs. O Polaco Malvadão

O Serviço de Alto Falantes Ornitorrinco manifesta, liminarmente, integral e irrestrita solidariedade ao companheiro Luiz Skora, The Crazy Polska, e permite-se lembrar que os poderosos Ratinhos, concessionários públicos, deitam e rolam fazendo política aberta segundo seus únicos e exclusivos interesses. Quando processam um blogueiro de modesta audiência querem mesmo é impedir o contraditório e pretendem sufocar quem deles discorda. Tenho nojo incontido desta gente.
---xxx--- 

Copiei do Polaco Doido 
Como se já não bastassem todos os pepinos da vida, agora me aparece mais um, ou melhor, dois.
Um dos candidatos a deputado estadual aqui do Paraná que já foi candidato a prefeito de Curitiba e que é filho de um famoso dono e apresentador da televisão, parece sentir-se profundamente ameaçado por este espaço mal escrito, pouco lido e a cada dia menos atualizado.
Nas eleições 2012 o candidato já havia processado o blog e além de conseguir retirar dois textos publicados aqui, também pediu que o Juiz multasse o Polaco Doido em R$ 50 mil.
Para estas eleições de 2014 a história se repete. Além de solicitar judicialmente um direito de resposta no importante e muito influente veículo da informação [sqn],  Blog Polaco Doido, mais uma vez pede também que sejam excluídos textos aqui do blog e que este blogueiro mais uma vez seja multado pela justiça eleitoral.
Pensa no absurdo!
O cara solicitou na justiça um pedido de direito de resposta contra Blog Polaco Doido.
Não é surreal um troço desses????
Em que século essa criatura vive?
Meu! Isso aqui é só um blog pessoal, independente, periférico e muito pouco lido.
Além do mais, é internet cara!!!
Você não precisa entrar com pedido na justiça para ter direito de resposta. Basta entrar em contato comigo, explicar a situação, mandar o seu texto e eu público sem nenhuma frescura.
Simples assim.
Todos os meia-dúzia de leitores do blog vão ler seus argumentos e todos nós continuaremos nossas vidas felizes e contentes.
Sei lá, até parece que a existência do blog Polaco Doido coloca em risco a carreira político-eleitoral do candidato. Ou pior, os textos aqui publicados colocam em risco a própria audiência e a verbas de publicidade da rede de rádio e TV do pai do candidato.
Só pode.
Sim, eu sei que o Polaco Doido, durante estes três anos e meio de existência, cultivou um invejável público assíduo de meia-dúzia de leitores (talvez um pouco mais, talvez um pouco menos) e também sei que estes leitores, independente da existência do blog, não têm o perfil dos eleitores do candidato que adora me processar, como também, não tem o perfil dos telespectadores assíduos do canal de televisão do pai do candidato – no máximo assistem algum episódio de Chaves quando zapeiam com o controle remoto.
Então Juninho?
Por que de todo este afinco em tentar me calar pela via judicial e financeira?
O Polaco Doido, apesar de assumidamente progressista e de esquerda, não é candidato a nada, não tem vínculo com partido político ou candidato nenhum, não recebe nenhuma espécie de subsídio ou patrocínio de ninguém. É só um blog pessoal, mantido por um cara que gosta de escrever o que pensa. Só isso!
O que realmente te ameaça aqui neste espaço sujo, pouco lido e insalubre?
Ora, vivemos na era da informação do supérfluo onde mais do que nunca, a velha máxima continua sempre verdadeira: “falem bem ou falem mal, mas falem de mim”.
O mais importante nesta época de informações e notícias descartáveis não é o conteúdo, são sim, os personagens.
Ou será que, apesar da irrelevância midiática do Polaco Doido e de seu editor, a verdade dói, machuca, fere e deve ser calada a qualquer custo?
Com a palavra, o candidato.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

George Soros, Armínio Fraga, Sininho: tudo junto e misturado?

Copiei de Laerte Braga

Em 1999 o mega especulador George Soros, não produz nada só especula, atacou o real, início do segundo mandato de FHC. Entreguista e sem caráter, FHC encontrou-se com Soros no Fórum Econômico de Davos e quis saber o preço para que o ataque parasse. Foi simples. Armínio Fraga, diretor do grupo Soros virou presidente do Banco Central. O País entrou numa espiral de juros altos, desemprego, voltadas para benefícios a bancos, por aí afora. Soros desfecha novo ataque contra o Brasil e Aécio tem como conselheiro e futuro ministro da fazenda, caso vença as eleições (improvável, está desmanchando), o mesmo Armínio Fraga. As atividades de Soros têm tentáculos para todos os lados. Financia ONGs com rótulos de esquerda, aparentemente dedicadas a movimentos revolucionários e sociais, na prática, meios de desestabilizar o governo sob ataque. É o caso de Sininho e seus ativistas. Recebem recursos de ONGs financiadas por Soros. Foi o caso do SANTANDER, um dos tentáculos dos especuladores mundiais e banco da OPUS DEI, ordem fascista da igreja católica, a qual foram ligados os papas João Paulo II e Bento XVI, envolvidos em escândalos financeiros no Banco do Vaticano, que resultou, inclusive, na decretação da prisão do braço direito de João Paulo II, o cardeal Marcinkus, ligado às piores máfias do setor. Tem o controle da mídia, pois se associa a outros especuladores e neste momento a ordem é evitar a qualquer preço a reeleição de Dilma. O Brasil, ou bem ou mal, começa a desgarrar-se desses donos do mundo e aí a importância fundamental dos BRICS. Como se vê, Soros atua cá embaixo, Sininho e no alto, SANTANDER, que foi o escolhido para semear pânico e medo. E logo corroborado pela mídia padrão Míriam Leitão e outros. Há um governo presidido por Dilma Roussef e há a candidata Dilma Roussef. Isso não impede e nem pode impedir a reação. O governo Dilma Roussef tem que determinar não só investigações sobre esse e outros fatos, estou resumindo a ação de Soros e torná-los públicos, para que os brasileiros tenham certeza que Aécio tem o propósito de vender o Brasil.